quarta-feira, 17 de julho de 2013

A VISÃO JUDAICO SOBRE A TORAH DO ETERNO



A visão judaica sobre a Torah, Lei do Eterno


Apresentação:

Passarei a mostrar-vos qual era e ainda é o conhecimento judaico acerca da Torah Sagrada, conhecida como Lei do Eterno.

Justificativa:

Muitas interpretações errôneas tem sido feita acerca da Torah Sagrada, Lei do Eterno D’us de Yisrael, por ignorarem o real contexto das Escrituras, antes de mais nada, é bom saber que, a Bíblia é uma literatura judaica, escrita por judeus, para judeus, em ambientes judaicos e dentro da cultura israelita, sendo assim, torna-se quase impossível tentar interpretar a Bíblia se não observar estes detalhes.
A igreja romana, tentando cegar o entendimento dos crentes, criou o "contexto ocidental greco-romano" para se interpretar as Escrituras, o que é totalmente CONTRÁRIO ao conexto hebraico-israelita na qual a Bíblia está inserida, por isso, a visão que pasarei a mostrar é a mesma pelo qual interpretavam os patriarcas, profetas e apósolos, porque é o real contexto das Escrituras.

Objetivos:

I- Diferenciar a maneira como os escritores bíblicos interpretavam as Escrituras, da maneira como os ditos cristãos a interpretam hoje.

II- Mostrar como a Torah Sagrada era constituída antes do Sinai e depois do Sinai.

III- Identificar os erros de se interpretar a Bíblia pelo contexto ocidental greco-romano.

IV- Verificar as distorções e as incoerências causadas por uma interpretação errônea sobre a Torah/Lei.

A maioria esmagadora dos ditos cristãos acreditam que a Torah do Eerno só veio a existência após sua proclamação no monte Sinai, isto se dá por interpretarem as Escrituras usando o contexto católico romano, estes versos mostram a Eternidade da Lei de D’us:

"Tenho visto que toda perfeição tem o seu limite, mas os Teus Mandamentos são ETERNOS" (Salmos 119:96)

"Seca-se a erva e cai a sua flor, mas a Palavra de nosso D'us permanece ETERNAMENTE" (Isaías 40:8)

Todos os patriarcas já conheciam a Torah, seu conhecimento era passado de geração a geração, por isso era conhecida como Torah Oral, temos um exemplo do grande patriarca Abraão obedecendo a Toráh na íntegra.
Existe realmente esta nomenclatura de "lei moral e lei cerimonial"???, a Bíblia declara que NÃO, pois segundo a própria Torah, ela é uma só, e é composta por Mandamentos/Mits'vot, Preceitos/Mishmêret e Estatutos/Rouquim, esta composição se encontra na Bíblia, mais precisamente na Torah escrita, portanto vamos analisá-la no texto chave, inicialmente no original em hebraico, transliteração e depois na tradução:

עקב אשׂר שׂמע אברהם בקלי וישׂמר משׂמרתי מצותי חקותי ותורתי (Gênesis 26:5)

"Ekebh asher-shema Avraham bekolivayishmor Mishmêret Mits'vothay Rouqithay ve'Torathây" (Gênesis 26:5)

"Porque Abraão obedeceu a minha Palavra e guardou os meus Mandamentos(Mits'vot), os meus Preceitos(Mish'mêret), os meus Estautos(Ruquim) e toda a minha Lei/Torah" (Gênesis 26:5)

Como podemos observar, toda a Torah antes de sua proclamação no monte Sinai, era composta por três(03) partes essenciais, nada se fala em "lei moral ou cerimonial", porém, quando ela é proclamada no Sinai Adonai Eterno lhe faz um ACRÉSCIMO, Adonai acrescenta à Torah as Ordenanças sacrificais, que passou a regular a vida espiritual dos israelitas concernente as suas transgressões, o Eterno agora tinha um povo e uma congregação, por isso estabeleceu uma emenda constitucional na Torah que regeria as obrigações quanto ao perdão de pecados.
As Ordenanças eram constituídas de holocaustos, ofertas de manjares, oblações e ritos ritualísicos que envolviam a participação de um sacerdócio ou mediador entre o pecador e D’us, todos os Mishpatim encontram-se relatados no livro de Vayikrá/Levítico, mais precisamente do capítulo um ao nove.
Todo o ritual das Ordenanças apontavam para um único sacrifício pelos pecados que foi o sacrifício de Yeshua na cruz, por isso que eram ordenanças provisórias e tinham um prazo de validade, o apóstolo Paulo fala a este respeito quando ele cita:

"Aboliu na sua carne, a lei dos mandamentos na forma das Ordenanças, para que dos dois criasse em si mesmo um novo homem, fazendo a paz" (Efésios 2:15)

Em Hebreus lemos um texto mais esclarecedor ainda, onde o autor declara qual era a parte da Toráh Sagrada que deixou de valer, pelo seu cumprimento perfeito:

"Os quais não passam de ORDENANÇAS da carne, baseadas somente em manjares, e bebidas, e diversas abluções impostas até o tempo apropriado de correção" (Hebreus 9:10)

Assim, após a inserção das Ordenanças na Torah ela ficou constituída de Mandamentos+Preceitos+Estatutos+Ordenanças e assim ela ficou até a morte do Cordeiro de D’us, quando cessou tanto os sacrifícios pelos pecados como o ministério sacerdotal humano que o ministrava, conforme Hebreus explica:

"Se, portanto a perfeição fosse por meio do sacerdócio levítico, que necessidade haveria então de se ordenar um sumo sacerdote segundo a ordem de Malki'Tsedek, e que não fosse contado pela ordem de Arão? porque, quando se muda o sacerdócio, a Torah também é modificada" (Hebreus 7:11 e 12)

E realmente a Torah modificou-se novamente, com a retirada das Ordenanças, a Torah volta a sua forma original antes do Sinai composta por Mandamentos+Preceitos+Estatutos, pois as Ordenanças que requeriam sacrifícios pelos pecados foi retirada, conforme o autor de Hebreus.

As Incoerências:

É importante se observar que, o autor de hebreus declara que mudando-se o sacerdócio a Torah também é modificada, ele diz MODIFICADA e não abolida, isto é um ponto muito forte a se considerar, pois tira de vez qualquer interpretação errônea acerca da Torah.
Para aqueles que ensinam a teoria das duas leis(cerimonial e moral), esta teoria gera muitas incoerências, dentre as quais vamos analisá-las:

a.1-) Afirmam que a Lei moral são as Dez Palavras ou Mits'vot(10 mandamentos) que não podem ser abolidos, pois foi escrita em pedras pelo dedo do Eterno, citam Êxodo 31:18

a.2-) Afirmam que a lei cerimonial foi escrita por Moisés em um livro, citam Deuteronômio 31:24 a 26)

b.1-) Afirmam ser a Lei do Senhor, citam Salmos 19:7 / Romanos 7:22

b.2-) Afirmam ser a lei de Moisés, citam Neemias 8:1 / Atos 15:5

c.1-) Afirmam ser dada antes da queda do homem, citam Romanos 4:15

c.2-) A firmam ser dada depois da queda do homem, citam Hebreus 10:1

d.1-) Afirmam ser a Lei Real ou Lei da liberdade, citam Tiago 2:8-12

d.2-) Afirmam ser a lei cerimonial e que eram apenas sombras, citam Colossenses 2:16-17

Basta apenas este comparativo para analisarmos se a teoria das duas leis procede ou não, é válido saber que a palavra Torah não significa necessariamente "lei" e sim Instruções, são Instruções divinas de D’us ao seu povo e toda Instrução serve como guia de como se conduzir diante de D’us, agora vamos as incoerências:

a.1- ) Se a "lei moral" é constituída apenas pelos 10 Mandamentos/Mits'vot, então os outros Mandamentos/Mits'vot não tem valor nenhum pois não se encontram entre as Dez citadas no decálago, por exemplo, o Mandamento/Mits'vá que proíbe se comer sangue perdeu efeito pois não se encontra entre as dez do decálago, porém nós sabemos que este Mits'vá que proíbe se comer sangue foi confirmado pelos apóstolos de Yeshua como sendo VÁLIDO, ver Atos 15:20

a.2-) Se a "lei cerimonial" que foi escrita por Moisés num livro não tem mais validade, então podem rasgar e jogar fora 5 livros das vossas Bíblias, pois o Livro da Lei de Moisés que tanto alegam é nada mais e nada menos que TODO o PENTATEUCO de Gênesis ao Deuteronômio.

b.1-) Se apenas os 10 Mits'vot/Mandamentos é chamada de a Lei do Senhor, neste caso a que Lei se refere o Salmista no seu primeiro Salmo da Bíblia:

"Bem aventurado é o varão que não anda no conselho dos ímpios.........antes tem o seu prazer na Torah do Eterno, e ESTUDA esta Torah dia e noite" (Salmo 1:1 e 2)

Não há necessidade de se estudar apenas 10 Mandamentos, somente obedecê-los, pois são todos precisos e específicos.

b.2-) Porém, quanto a Torah completa, esta sim precisa ser estudada dia e noite pois se encontra em um Livro, nós a estudamos e ensinamos aos nossos filhos conforme nos ordenou o nosso D’us Eterno (Deuteronômio 6:6 e 7)

c1-)Quanto a ser dada antes da queda do homem, eu concordo plenamente, porém não foram apenas os 10 Mandamentos dados antes da queda do homem, pois verificamos que os Mishmêret/Preceitos que fazem a diferença entre os animais puros e impuros contidos no Livro da Toráh(Levítico11), já eram conhecidos pelos patriarcas, verificamos em Gênesis 7:2

c.2-) Quanto a esta suposta "lei cerimonial" ser dada depois da queda do homem, sendo que esta suposta "lei" se encontra no Livro(pentateuco) e neste Livro também se encontram dezenas de Mandamentos Válidos para nós como não comer sangue(Levítico 17:10), não comer animais impuros(Levítico 11), práticas homosexuais(Levítico 18:22), fofocas e fuchicos(Levítico 19:16) e etc...., então significa que tudo isto foi ABOLIDO????

d.1-) Dizem que a “Lei Real” e a “Lei da Liberdade” (Tiago 2:8-12) faz referência somente ao decálogo. Pois bem, vamos analisar e ver se de fato possui base sólida tal afirmação.
Antes de tudo é bom salientar que Tiago cita Mandamentos que estão fora do decálogo e que se encontram no livro da Lei cujo conteúdo os sabatistas dizem ser cerimonial: “Amarás ao teu próximo como a ti mesmo”. Se o fato de Tiago citar Mandamentos do decálogo implica que a Lei ai é somente a do decálogo, também podemos dizer que ele está então falando de toda a Torah, pois cita um Mandamento que se encontra no Livro de Levítico cujo conteúdo, segundo os sabatistas,  é da tal lei cerimonial.
Eis as razões porque Tiago está se referindo a toda a Lei e não somente ao decálogo:

1. Os judeus não dividiam a Torah em moral e cerimonial, para nós a Torah é uma só.

2. Tiago era Rosh(líder) da Congregação Nazarena de Jerusalém (ver Atos 21:18 e Gálatas 2:9) conhecido como o grupo dos da “circuncisão” (Gálatas 2:7-8).

Esta Congregação era composta por judeus crentes em Yeshua mas que permaneciam zelosos em toda a Torah(ver Atos 21:20), sem nenhuma diferença dos demais judeus. Vejam o perfil teológico do rol de membros da Beyt de Tiago em Atos 21:17-27 conferir ainda com  Atos 10:45.

“No dia seguinte Shaul foi em nossa companhia ter com Tiago, e compareceram todos os anciãos….e disseram-lhe: Bem vês, irmãos, quantos dezenas de milhares há entre os judeus que têm crido, e todos permanecem zelosos na Torah.” (Atos 21:20) 

Isto é, “zelotes em prol da Lei”. Cabe aqui uma pergunta: Qual Lei era essa? Estaria Tiago falando ai da "lei moral", apenas dos dez Mandamentos? Não. Vamos prosseguir na leitura e ver que tipo de lei a Congregação de Tiago obedecia:

“Têm sido informados a teu respeito que ensinas todos os judeus que estão entre os gentios a se apartarem de Moisés, dizendo que não circuncidem mais seus filhos, nem andem segundo os costumes da Torah" (Atos 21:21)

Verifiquem que é a mesma acusação apresentada contra Estevão em Atos 6:13. Que costumes eram estes? Porventura eram costumes da tal "lei moral" ou "lei cerimonial"?
Tiago nos dá a resposta pelo pedido que ele faz a Paulo, vejamos:

“Faze, pois, o que te vamos dizer: Temos aqui quatro homens que fizeram voto; toma estes contigo, e santifica-te com eles, e faze por eles as despesas para que rapem a cabeça; e saberão todos que é mentira aquilo de que têm sido informados a teu respeito, mas que também tu mesmo andas corretamente, guardando a Torah” (Atos 21:23-24)

Qual lei era esta que Shaul precisava provar aos judeus que guardava? Era a lei moral ou a chamada lei cerimonial? Prossigamos ainda:

“Então Shaul, no dia seguinte, tomando consigo aqueles homens, purificou-se com eles e entrou no templo, notificando o cumprimento dos dias da purificação, quando seria feita a favor de cada um deles a respectiva oferenda. Mas quando os sete dias estavam quase a terminar…” (Atos 21: 26)

Aqueles irmãos da Congregação de Jerusalém e especificamente Tiago, queriam que Shaul, de modo prático, desmentisse a notícia de que ele dissuadia os judeus nazarenos de guardar a Torah do Eterno e de circuncidar os filhos (Atos 16:3).
Quanto a isso temos estes comentários de historiadores: “Paulo, até onde podemos ver, continuou a observar a Lei e isso fez enquanto viveu, especialmente na companhia de judeus crentes, e sua aquiescência no conselho de Tiago, nessa ocasião, participando da cerimônia de purificação de quatro homens que haviam tomado voto temporário de nazireu, e pagando as respectivas despesas, estava em perfeita concordância com o princípio por ele estabelecido quando dizia: Procedi, para com os judeus, como judeu....” (1 Coríntios 9:20). Podemos comparar isto com a prática da circuncisão em Derbe e o voto que ele mesmo tomou em Cencreia(ver Atos 16:3; 18:18), Os costumes (21); isto é, os determinados na Torah do Eterno, “recebidos de Moisés por tradição” (Atos 6:14). Faze por eles as despesas. Sobre a natureza de tais despesas veja Números 6:14-15.
Isto posto, concluímos que:

1. A Congregação Nazarena em que Tiago era Rosh, era composta por judeus crentes que permaneciam zelosos na Torah do Eterno, e nos costumes e tradições dadas por D'us a Moisés.
2. Estes judeus guardavam os Preceitos das Kashrôt, da circuncisão, dos votos, o Shabat, frequentavam e participavam  das liturgias do Templo etc…
3. Tiago em nenhum momento condena a prática destas Mitsvot da Lei de Moisés.
4. Pelo contrário, pede para Shaul se enquadrar na Fé Patriarcal da Congregação judaica Nazarena naquelas circunstancias de perigo iminente.
5. Ele NUNCA e JAMAIS divide a Torah em duas, nem mesmo as denomina de "lei moral e lei cerimonial".

Com este pano de fundo do contexto histórico escriturístico, podemos entender agora a carta de Tiago e o que ele quis dizer com a expressão “guardar toda a lei” em Tiago 2:10.

1. Tiago foi Rosh da primeira Congregação Judaica Notzeri histórica, onde ainda não havia se convertido nenhum gentio. Veja que mesmo Pedro teve dificuldades em explicar aqueles irmãos sua pregação a um gentio do grupo dos “tementes a D'us” (ver Atos 11:2-18).
2. A epístola de Tiago é considerada uma das mais antigas dos Ketuvim Notserim(vulgo novo testamento). Os críticos colocam sua data entre 46 e 60 E.C.(era comum) bem nos primórdios da era messiânica.
3. Esta carta foi endereçada não só as gentios, mas precisamente  aos judeus que reconheciam Yeshua como o Messias de Yisrael é o que se depreende da introdução que Tiago faz dizendo: “Tiago, servo do Eterno e do senhor Yeshua haMashiach, às Doze Tribos da Dispersão, saudações.”
4. Tiago, em sua epístola, no capítulo 2:2 usa até mesmo a palavra SINAGOGA e não "igreja" para designar a reunião da Congregação dos Nazarenos composta de judeus e gentios.
Isto mostra sem sombra de dúvida que o pensamento teológico de Tiago e de sua Congregação, contido nesta epístola, era perfeitamente compreensível para aqueles judeus nazarenos dispersos. Então quando Tiago fala de guardar “toda a Lei” está falando da Torah inteira e não de uma parte dela ou apenas dez Mandamentos. Não está ai falando do decálogo que os sabatistas chamam de "lei moral". Este tipo de linguagem era desconhecida da mentalidade da Congregação judaica na qual Tiago presidia.
Diante disto concluímos que, quanto aos Mandamentos, que quem despreza uns e pratica outros, a si mesmo constitui TRANSGRESSOR, como o disseram Shaul e Tiago. É bom recordar o que eles falaram sobre o assunto:

Shaul – “Pois todos quantos são das obras da lei estão debaixo da maldição; porque escrito está: Maldito todo aquele que não permanece em todas as coisas que estão escritas no Livro da Torah, para pratica-las.” (Gálatas. 3:10)

Tiago – “Pois qualquer que guardar toda a Torah, mas tropeçar em um só ponto, tem-se tornado culpado de todos.” (Tiago 2.10)

Essas duas citações são perfeitamente idênticas em seu sentido. Os dois escritores disseram a mesma coisa com palavras diferentes.
Agora vejam, você que é simplesmente guardador do sábado, mas rejeita a celebração das Festas bíblicas do Eterno, o uso do Talit e Tzitziot, do Calendário Litúrgico hebraico, das purificações e kashrôt(regras alimentares), etc..., que também é da mesma Lei, como pode deixar de ser transgressor da Torah?
Relembrando ainda que a Lei supra citada não é o decálogo apenas, mas todo a Torah Sagrada. Se os sabatistas quiserem se socorrer neste verso supra citado terão que guardar toda a Torah. Se não o fazem, eles são, então, os que mais incorrem neste pecado. Não há para onde fugir!

Estas são apenas algumas das dezenas de incoerências encontradas nesta teoria das "duas leis", observamos que não bate com que ensinam os profetas na Palavra de D’us, Jeremias por exemplo ele, diz que quando Adonai tirou Yisrael do Egito, antes de chegarem no monte Sinai, o Eterno não havia dado nenhuma Ordenança sacrifical, comprovando assim que a Torah era composta apenas de Mandamentos+Preceitos+Estatutos (ver Jeremias 7:22), e esta é a maneira como a Torah se apresenta hoje, se o Livro da Torah(pentateuco) foi abolido como é alegado, então isto significa que toda a revelação de Moisés foi pro espaço.

Conclusão:

A teoria das duas leis não condiz com os ensinamentos bíblicos, pois deixa muitas distorções quanto a aplicabilidade da Torah na vida do crente, a maior indagação para aqueles que aceitaram a Yeshua como o Mashiach é, de toda a Torah Sagrada, o que eu devo cumprir?? Simples, a Torah tem Mandamentos específicos para reis, sacerdotes,  homens, mulheres, patrões, empregados, para o uso da terra e meio ambiente, em fim, cada categoria tem o seu preceito particular, também podemos observar como os apóstolos ensinavam e praticavam a Torah e façamos o mesmo, pois, se a Congregação do Messias(que é a única que deve ser imitada) praticou, então podemos também praticar sem medo de errar.
Em todo o livro da Torah há belas e esplêndidas Lições de D’us para o Povo da Aliança, tudo é explicado pela Torah, todo o chamado novo testamento está contido nela, não é a toa que Torah significa Instruções do Eterno, o salmista ao escrever o maior Salmo de toda a Bíblia declara que a Torah, Instruções do Eterno, deve ser estudada constantemente para nos dar sabedoria:

"Os teus Mits'vot me fazem mais sábio que meus adversários, porque eu os tenho sempre comigo" (Salmos 119:98)

E continuando, o salmista declara que cada porção da Torah, Mits'vot+Mishmêret+Rouquim (Mandamentos+Preceitos+Estatutos), é a base de todo conhecimento de D’us, e está todo disponibilizado ao homem, basta estuda-los.

Mits'vot/Mandamentos:

"Então não terei de que me envergonhar, ao ponderar todos os teus Mits'vot/Mandamentos" (Salmos 119:6)

Mishmêret/Preceitos:

"Sempre meditarei em teus Mishmêret/Preceitos, para respeitar os teus caminhos" (Salmos 119:15)

Rouquim/Estatutos:

"Teus Rouquim/Estatutos têm sido a inspiração de meus cânticos, em todas as minhas peregrinações" (Salmos 119:54)

Se os cristãos resolvessem estudar toda a Torah Sagrada, então o conhecimento do Eterno encheria seus corações e os fariam tão sábios quantos os heróis da fé.
Este artigo foi feito para desmistificar esta falsa impressão que a igreja romana impôs aos cristãos, para evitar que estes obtenham o conhecimento de D’us dados em sua Torah, o incentivo é para estudá-la como faziam os patriarcas, como fazia o mestre Yeshua(Lucas 4:31), como faziam os apóstolos(Atos 13:15) e como nós fazemos até hoje.

"Conheçamos e prossigamos em Conhecer ao Eterno, como a alva, a sua vinda é certa, e ela descerá sobre nós como a chuva, como chuva serôdia que rega a terra" (Oseias  6:3)


Rosh: Marlon Troccolli

1 comentários:

  1. acredito que desde o principio tudo que aconteceu, acontece e acontecerá, bem ou mal é para cumprir a vontade do Eterno.
    desde a criação do primeiro humano proclamou a vinda do Messias
    Genealogia
    nome tradução
    Adam = homem feito do pó
    Shet = apontado como
    Enosh =mortal
    Kenam = triste e infeliz
    Mahalalel = Eloáh bendito
    Yared = irá descer
    Hanock = ensinar (Torah)
    Metushlah = e com sua morte
    Lemek = irá trazer
    Noach = descanso
    Shem = nome
    Ham = quente ( agradável)
    Yafet = (maravilhoso)

    O significado oculto nos nomes:
    O HOMEM FEITO DO PÓ APONTADO COMO MORTAL TRISTE E INFELIZ ELOAH BENDITO IRÁ DESCER ENSINAR (TORAH) E COM SUA MORTE IRÁ TRAZER DESCANSO NO NOME QUE E QUENTE E QUE É BELO
    B'reshit 3:22
    ADONAI, Deus, disse:"Vejam: o homem tornou-se como um de nós, conhecedor do bem e do mal. Por issi, evitarei que ele estenda a mão e pegue tambem da árvore da vida, coma e viva para sempre".

    creio fielmente na unicidade de Deus o único criador, mas quando se refere a "como um de nós" significa que neste momento não era o único.

    Tal afirmação me intrigou e minha opinião é que a primeira e única criação do Eterno é a expressão da sua vontade, ou seja a Palavra.
    acredito que explica o porque de "nós"

    Yochanan 1:3
    No principio era a Palavra, e a palavra estava com Deus, e a Palavra era Deus.
    Ele estava com Deus no princípio.
    Todas as coisas vieram a existência por meio dele, e sem Ele, nada do que foi feito veio a existir.

    Yochanan 1:16
    A Palavra se tornou um ser humano e viveu entre nós, e vimos sua Sh'khinah, a Sh'khinah do Filho único do Pai, repleto de graça e verdade.

    Revelação 19:12-13
    Seus olhos eram como chama flamejante, e em sua cabeça havia muitas coroas reais. E possui um nome que só ele conhece. Esta vestido com um manto tingido de sangue, e o seu nome é "A Palavra de Deus"

    Yochanan 6:38
    Porque desci do céu, não para fazer minha vontade, mas a vontade de quem me enviou.

    Yoshanan 10:30
    Eu e o Pai somos um.

    Yochanan 14:11
    Confiem que estou unido ao Pai e que o Pai esta unido a mim. Mas, se não puderem, ao menos confiem por causa das obras.


    Diante destas e muitas outras afirmações como "Pão da vida" o alimento do espírito, a palavra. quem se alimenta da palavra e aprende tem vida

    ResponderExcluir