segunda-feira, 15 de julho de 2013

ACRÉSCIMOS DO NOVO TESTAMENTO




Os Acréscimos do Novo Testamento

Introdução:

Este artigo tem por objetivo mostrar certos trechos contidos no Novo Testamento que, segundos especialistas em análise textual, erudição, historiadores e pesquisadores não combina com com o restante do texto original por várias razões:
a) O estilo da escrita grega usado nestes trechos é bem diferente do restante do texto.
b) A sintaxe e concordância gramatical diferente fica em evidência nestes trechos.
c) O assunto tratado nos referidos trechos fica em desarmonia com o restante do
texto original, entre outras evidências básicas

Adendo:

Não é objetivo do artigo denegrir a imagem da Bíblia Sagrada e muito menos desacreditá-la, ao contrário, o objetivo e dar mais credibilidade aos textos Sagrados para que seus leitores saibam o que na realidade estão lendo, também gostaria de deixar bem claro que este artigo é fruto de pesquisas de vários profissionais da área, mas que pode ser contestado por quem achar de direito, contando que se tenha argumentos plausíveis e incontestáveis.

1° caso: A Mulher adúltera(João 8:1 a 11)

Todo texto acima não faz parte nos melhores manuscritos, a história de Yeshua com a mulher flagrada em adultério é provavelmente a mais célebre história sobre Yeshua na Bíblia; desde sempre, ela foi também certamente destaque nas versões hollywoodianas da vida de Yeshua. Também teve destaque em a paixão de cristo, de Mel Gibson, embora o filme se concentre apenas nas últimas horas de Yeshua (a história é tratada em um dos raros flashbacks do filme). Apesar de toda essa sua popularidade, o relato se baseia em apenas uma passagem do Novo Testamento, em João 7:53 – 8:12, e nem mesmo ali parece fazer parte do contexto original.
O quadro da história é familiar. Yeshua está ensinando no templo, e um grupo de escribas e fariseus, seus inimigos jurados, se aproxima dele trazendo consigo uma mulher “que fora pega em flagrante no ato de adultério”. Eles a trazem à presença de Yeshua porque querem pô-lo à prova.
A Lei de Moisés é o que dizem a Yeshua , prescreve que uma mulher dessas seja apedrejada até a morte; mas eles querem saber o que ele tem a dizer sobre o caso. Devem apedrejá-la ou mostrar misericórdia para com ela? Naturalmente, trata-se de uma armadilha. Se Yeshua lhes disser para libertar a mulher, será acusado de violar a lei de D'us; se lhes disser para apedrejá-la, será acusado de negligência para com seus próprios ensinamentos de amor, misericórdia e perdão.
É uma história brilhante, plena de sentimento, mas é claro que para um leitor atento a história suscita várias perguntas. Se essa mulher foi pega em flagrante de adultério, por exemplo, onde está o homem com quem ela foi pega em ato de adultério? De acordo com a Lei de Moisés ambos devem ser apedrejados, conforme textos abaixo:

Levítico 20:10 - "se um homem adulterar com a mulher do seu próximo, será morto o adúltero e a adúltera"

Deuteronômio 22:22 - "se um homem for achado deitado com uma mulher que tem marido, então, ambos morrerão o homem que se deitou com a mulher e a mulher; assim, eliminarás o mal de Israel"

Além de tudo, o que exatamente Yeshua escreveu na areia? se o piso do Templo de Jerusalém era todo de pedras.

2° caso: Os últimos 12 versículos do Evangelho de Marcos(Marcos:16:9a20):

O segundo exemplo que examinaremos pode não ser tão familiar para o leitor episódico da bíblia, mas teve grande influência na história de interpretação bíblica e suscita problemas semelhantes para o especialista em tradição textual do novo testamento. A prova de que esses versículos não estavam no original de Marcos é semelhante em gênero à prova para a passagem da mulher flagrada em adultério. Os versículos estão ausentes de dois de nossos mais antigos e melhores manuscritos do evangelho de Marcos, além de ausente de outros importantes testemunhos; o estilo de escrita é diferente do estilo que encontramos em todo o restante de Marcos; a transição entre essa passagem e a anterior é de difícil entendimento (por exemplo, Maria Madalena é apresentada no versículo 9 como se ainda não tivesse sido mencionada, mesmo tendo ela sido discutida nos versículos anteriores; há mais um problema com o grego que faz a transição ainda mais complicada); e há um grande número de palavras e frases na passagem que não são encontradas em nenhum outro lugar em Marcos . Em suma, as evidências são suficientes para convencer quase todos os pesquisadores textuais de que esses versículos são um acréscimo ao evangelho de Marcos.
Atenção ao que acontece quando esses versículos são excluídos: diz-se às mulheres para informar os discípulos que Jesus os precederá na Galileia e lá os encontrará; mas elas, as mulheres, desertam do túmulo e nada dizem a ninguém, “pois estavam amedrontadas”. É aqui onde o evangelho acaba. Obviamente, os copistas pensavam que o fim era abrupto demais, e portanto resolveram acrescentar um final mais interessante ao Evangelho.

3º Caso: As mudanças para justificar a doutrina de que Yeshua é deus.

Mudanças anti-adocionistas ou anti-ebionitas:
Evangelho de João 1.1-18 – filho único ou Deus único que está junto do pai? Nos melhores manuscritos diz: “filho único que está no seio do pai.”
Atos 20:28 – igreja de Deus ou igreja do senhor que ele resgatou com seu próprio sangue? Nos melhores manuscritos diz: “igreja do senhor, que ele comprou com o seu próprio sangue.“
Tal mudança coloca Yeshua como Deus, pois fala de Deus que com seu sangue... E desde quando que Deus tem sangue? observem a discrepância teológica!
I Timóteo 3:16 “Deus manifestado na carne”, ou, “aquele que foi manifestado na carne” Nos melhores manuscritos diz: “aquele ou que foi manifestado na carne“
Hebreus 2:9 – sem Deus provasse a morte por todos ou pela graça de Deus provasse a morte por todos. Nos melhores manuscritos o texto diz: “assim sendo, sem Deus ele deve provar a morte por todos”
Aqui para refutar o ensino que Yeshua foi abandonado na cruz por Deus, os copistas trocaram sem Deus por pela graça de Deus.
Lucas 3.22: ”tu és meu filho, hoje eu te gerei”, ou, “tu és meu filho amado, em quem me comprazo”. Nos melhores manuscritos o texto diz: “tu és meu filho, hoje eu te gerei”
Tal mudança ocorreu para refutar os defensores adocionistas, ou seja, os ebionitas, que defendiam que Jesus foi adotado na ocasião do batismo. E a maioria das traduções modernas mantém a forma errada ainda hoje.
Nos melhores manuscritos não constam os textos acima, que foram acrescentados ou adulterados por copistas tardios anti-ebionitas ou anti-adocionistas, para justificar que Yeshua era Deus, porque os adocionistas defendiam que um Messias era unicamente homem.

4º Caso: As mudanças para justificar doutrina que Yeshua é homem comum:

Mudanças antidocetas.
Lucas 22:43. 44 - 43 - "então, lhe apareceu um anjo do céu que o confortava. - V.44 - e, estando em agonia, orava mais intensamente. E aconteceu que o seu suor se tornou como gotas de sangue caindo sobre a terra"
Estes dois versículos foram acrescentados para refutar a doutrina de que Yeshua era completamente divino, defendida pelos docetas, que diziam que Yeshua somente aparentava, ou seja, dava a impressão de que era humano, mas não era. Então sentiram a necessidade de mudar o texto para refutar que ele era completamente divino, então se ele fosse completamente divino como ele sangraria e sentiria agonia?
Outra vez, disputas teológicas! Será que um dia elas terão fim?

5º Caso: As mudanças anti-separacionistas:

Mudanças para justificar que o Messias não era nem homem e nem divino ao mesmo tempo e que nem se separaram em dado momento.
Hebreus 2:9 – "sem Deus provasse a morte por todos ou pela graça de Deus provasse a morte por todos" Nos melhores manuscritos o texto diz:
“Assim sendo, sem Deus ele deve provar a morte por todos.”
Aqui para refutar o ensino que Yeshua foi abandonado na cruz por Deus, os copistas trocaram sem Deus por "pela graça de Deus". Para refutar tanto os adocionistas como os separacionistas. Esse caso já havia sido tratado antes. Existem outras mudanças que foram feitas para refutar o ensino da cristologia separacionista, porém que foram depois reparadas, ou seja, foram corrigidas, por exemplo:
Um manuscrito de Marcos não traz a passagem que Yeshua brada : “Deus meu, Deus meu por que me abandonaste” que está em Marcos 15:34. No lugar trazia a seguinte mudança: “meu Deus, meu Deus, por que escarneceste de mim?”
Tal mudança foi feita para refutar a cristologia separacionista de que o Messias se separou de Yeshua na crucificação, e esse texto era o predileto dos separacionistas para defenderem que O Messias abandonou Yeshua na hora da crucificação.
Este erro, porém, foi há muito tempo corrigido. Como exemplo final de uma variante desse tipo, inserida para refutar e barrar a cristologia separacionista encontramos um texto mudado, que consta num manuscrito antigo dos primeiros séculos da 1ª epístola de João. A mais antiga forma do texto diz: I João 4:2 "nisto reconheceis o espírito de Deus: todo espírito que confessa que Yeshua o Messias veio em carne é de Deus; V.3 - e todo espírito que não confessa a Yeshua não procede de Deus; pelo contrário, este é o espírito do anti-messias“
É uma passagem clara e direta: só aqueles que reconhecem que Yeshua veio realmente na carne pertence a Deus; aqueles que não reconhecem isso são opostos ao Messias (anti-messias). Mas existe também um manuscrito que ocorre uma mudança na segunda metade da passagem. Em vez de se referirem àquele “que não confessa Yeshua”. Vários manuscritos se referem, em vez disso: “àquele que divide Yeshua...".

O que esse divide Yeshua significa? E por que, essa variação de texto se introduziu em alguns manuscritos antigos dos primeiros séculos? Com certeza para fornecer uma base bíblica contra as cristologias separacionistas, nas quais Yeshua e o Messias são separados um do outro como duas entidades separadas, ou como uma variante que afirmasse que Yeshua “se dividiu” do Messias. A mudança textual condena qualquer um que vier a apoiar essa perspectiva separacionista, dizendo que esses não são de Deus, e de fato, são, anti-messias. Mais uma vez, encontramos aqui uma mudança textual nos manuscritos gerada no contexto das disputas cristológicas dos séculos II e III.

6º Caso: As Mudanças para justificar a teologia da trindade:

a-) Batismo em nome da trindade:
Mateus 28 : 19 – "batizando-as em nome do pai, do filho e do espírito santo"
A bíblia de Jerusalém em sua nota marginal diz: “é possível que, em sua forma precisa, essa formula reflita influência do uso litúrgico posteriormente fixado na comunidade primitiva. Sabe-se que o livro de Atos dos apóstolos fala em batizar “no nome de Jesus“ conforme Atos 1:5, 2:38, 8:12, 8:16, 10:48, 19;5, romanos 6:3, gálatas 3:27. Mais tarde deve ter-se estabelecido a associação do batizado em nome da trindade”. Os textos que falam da trindade na bíblia foram acrescentados para justificar a teologia da trindade, esses textos são acréscimos de Jerônimo na vulgata latina no século V, antes do século V nenhum manuscrito grego traz os textos.
Bíblia Peshita texto em aramaico do século III traduzido para o português
Mateus 28:19 - "portanto ide, fazei talmidim (discípulos) em todas as nações em meu nome"
O evangelho de Mateus do rabino Baal Shem Tov e os evangelhos aramaicos e siríaco-aramaico e o evangelho hebraico de Mateus da versão de Shem Tov omite a frase, este evangelho de Mateus foi encontrado com um rabino no século 16 por isto leva o nome do rabino Baal Shem Tov, embora Dutillet, Munster e Quin-Quarbus a incluam.

b-) Parêntese Joanino acréscimo da vulgata latina de são Jerônimo:
I João 5:: 7- "porque são três os que testificam no céu: o pai, a palavra e o espírito santo; e estes três são um.8- e três são os que testificam na terra: o espírito, e a água, e o sangue; e estes três concordam num"
A passagem acima chamada pelos pesquisadores textuais de o parêntese Joanino (I João 5:7-8) encontrado nos manuscritos da vulgata latina, mas não na vasta maioria dos manuscritos gregos, essa passagem que foi, por muito tempo, a predileta entre os teólogos cristãos, dado que é a única passagem na bíblia inteira que delineia explicitamente a doutrina da trindade, segundo a qual há três pessoas na divindade, com todas as três constituindo um só Deus.
Trata-se de uma passagem misteriosa, mas inequívoca em seu apoio aos ensinamentos tradicionais da igreja de Roma sobre o “Deus trino que é um”. Sem esse versículo, a doutrina da trindade deve ser deduzida pelo raciocínio de uma série de passagens combinadas para mostrar que Yeshua é Deus, assim como o Espírito é separado do Pai, e que há, não obstante, um só Deus. Essa passagem, por seu turno, afirma a doutrina direta e sucintamente.
Mas nos nossos melhores manuscritos se lê: “pois há três que dão testemunho: o espírito, a água e o sangue, e esses três são um”
Para onde foram “o pai, o verbo e o espírito santo?” Eles simplesmente não figuravam no manuscrito primário de Erasmo que foi o primeiro a editar e publicar o novo testamento grego em 1515, e não consta em nenhum dos demais manuscritos dos séculos I e II que ele consultou. Por isso, naturalmente, ele os deixou de fora de sua primeira edição do texto grego.
Para justificar a teologia da trindade foi feito este acréscimo também por Jerônimo na vulgata latina no século V – antes disto nenhum manuscrito traz o texto que foi alterado na vulgata latina.

7º Caso: As alterações nos textos do NT envolvendo mulheres:

Uma das mais importantes passagens na discussão contemporânea sobre o papel das mulheres na igreja encontre-se em I Corintios 14:33-36. A passagem, tal qual traduzida na maioria das edições modernas da bíblia, diz o seguinte: - I Corintios 14: 33 "porque Deus não é Deus de confusão, senão de paz, como em todas as igrejas dos santos. V.34 as mulheres estejam caladas nas igrejas; porque lhes não é permitido falar; mas estejam sujeitas, como também ordena a lei. V.35 e, se querem aprender alguma coisa, interroguem em casa a seus próprios maridos; porque é indecente que as mulheres falem na igreja. V.36 porventura saiu dentre vós a palavra de Deus? Ou veio ela somente para vós?
A passagem parece ser uma proibição direta: as mulheres não devem falar (não podem ensinar) na igreja, muito semelhante à passagem de I Timoteo 2:11-15. Como vimos, contudo, os pesquisadores estão convictos de que Paulo não escreveu a passagem de I Timóteo 2:11-15, porque ela ocorre em uma carta que parece ter sido escrita por um seguidor de Paulo de segunda geração, que teria atribuído a carta ao apóstolo. Mas não há dúvidas que Paulo tenha escrito I Corintios. Contudo, pairam dúvidas sobre essa passagem. Pelo que se sabe, os versículos em questão (34-35) estão embaralhados em alguns de nossos mais importantes testemunhos. Em três manuscritos gregos e em alguns testemunhos latinos, eles não se encontram aqui, depois do versículo 33, mas depois do versículo 40.
A bíblia de Jerusalém diz assim em sua nota de rodapé: “Os versículos 34-35, que alguns manuscritos colocam depois do versículo 40, são acréscimos pós Paulino.”
Esse deslocamento de texto em vários manuscritos levou alguns pesquisadores à conclusão que esses versículos não foram escritos por Paulo, mas originados de uma espécie de nota marginal acrescentada por um copista, provavelmente influenciado por I Timoteo 2:11-15.
Precisamos analisar brevemente várias outras mudanças textuais semelhantes. Uma delas ocorre em uma passagem que já mencionei, Romanos 16:7, na qual Paulo fala de uma mulher, Júnia, e de um homem, que devia ser seu marido, Andrônico, aos quais o apostolo se refere como “apóstolos eminentes” (versículo 7). Trata-se de um versículo significativo, porque esse é o único lugar no Novo Testamento no qual uma mulher é citada como apóstola. Os interpretes ficaram tão impressionados com esse trecho que muitos deles passaram a sustentar que ele não podia significar o que dizia, para, desse modo, poder traduzir o versículo como chamado "Junias", que, juntamente com seu companheiro, Andrônico, era elogiado como apóstolos. O problema com essa tradução é que, enquanto Júnia era um nome feminino muito comum, não há indicio no mundo antigo de “Junias” como um nome masculino. Paulo está se referindo a uma mulher chamada Júnia, mesmo que alguns tradutores bíblicos modernos (dê uma olhada na sua bíblia!) Continuem a se referir a essa apóstola como se ela fosse um homem chamado Júnias.
A diferença é tão sutil que as pessoas quase não percebem. Voltando ao estudo: alguns copistas também devem ter tido dificuldades em atribuir apostolicidade a essa mulher desconhecida e, por isso, fizeram uma sutil mudança no texto para evitar o problema. Em alguns de nossos manuscritos, em vez de dizer: “saudai Andrônico e Júnia, meus parentes e companheiros de prisão, eminentes apóstolos”, o texto é mudado para se tornar mais fácil de traduzir:
Romanos 16:7 - “Saudai Andrônico e Júnia, meus parentes; saudai também meus companheiros de prisão, apóstolos eminentes”
Com essa mudança textual acrescentada, ninguém precisa mais se preocupar com o fato de uma mulher ser citada em meio ao grupo apostólico de homens, puro preconceito contra as mulheres.

CONCLUSÃO:

A Palavra de D'us se interpreta por si só, ela não precisa que ninguém dê a sua versão ou interpretação particular(II Pedro 1:20), um leitor atento e sem tendenciosidades religiosas perceberá as variações textuais contidas nestes acréscimos quando lidos em conjunto com o corpo de todo contexto, são de fácil percepção, um, exemplo disso é o acréscimo de Mateus28:19 onde Yeshua supostamente ordena os discípulos a batizarem em nome de uma "trindade", quando que, nos períodos seguintes NENHUM discípulo seguiu a risca esta suposta recomendação de Yeshua, muito pelo contrário, todos os batismos registrados em Atos dos Apóstolos foram realizados em Nome de Yeshua apenas, uma prova textual e verídica da própria Escritura que aquela ordem do Mestre trata-se de uma invenção puramente humana, para desviar os crentes posteriores da Verdadeira Fé que uma vez foi entregue aos santos(Judas 1:3).
Por isso, este artigo foi escrito para trazer a verdade dos fatos e não para por em dúvida a Palavra de D'us, mas para mostrar que devemos mais do nunca voltarmos as Veredas Antigas, e buscarmos pelos antigos Caminhos, Restaurarmos nossas vidas, fazendo a Teshuvá, o Retorno à Fé do primeiro Século.

"Assim diz o Eterno: Ponde-vos à margem no caminho e vejam, indagai pelas Veredas Antigas, qual é o Bom Caminho e andei por ele e achareis descanso para as vossa alma; mas eles dizem: não andaremos" (Jeremias 6:16)

Rosh: Marlon Troccolli


29 comentários:

  1. Achi, no terceiro caso não houve honestidade ao escolher os textos "dos melhores manuscritos":
    João 1:18 - Deus único ou Filho único?
    Os Códices Sinaiticus ( א ) e Vaticanos (B), mais antigos dizem "Deus Únigênito":
    א = Θ̅Ν̅ ουδεις εωρακεν πωποτε μονογενης Θ̅Σ̅ εις τοˉ κολπον του πατρος εκεινος εξηγησατο
    B= Θ̅Ν̅ ουδεις εορακεν πωποτε μονογενης Θ̅Σ̅ ο ων εις τον κολπον του πατρος εκεινος εξηγησατο

    O Códice Alexandrinus (A) diz: o Unigênito Filho
    Θ̅Ν̅ ουδεις εωρακεν πωποτε ο μονογενης υιος ο ων εις τον κολπον του Π̅Ρ̅Σ̅ εκεινος εξηγησατο

    Atos 20:28 - os códices mais antigos א e B = εκκλησιαν του Θ̅Υ̅ (igreja de Deus), mas o "A" diz: εκκλησιαν του Κ̅Υ (igreja do Senhor)

    Hebreus 2:9 TODOS os manuscritos mais antigos dizem χαριτι Θ̅Υ (graça de Deus)

    Lucas 3.22 - que melhores manuscritos dizem: "tu és meu filho, hoje eu te gerei”? Em TODOS os códices mais antigos dizem: Συ ει ο Υ̅Σ̅ μου ο αγαπητος εν σοι ευδοκησα (Tu és o meu Filho amado, em ti me comprazo). Somente o Bezae tras: εγω σημερον γεγεννηκα σε (eu hoje te gerei).
    Em todos estes textos mais antigos citados a Peshitta confirma os códices mais antigos, inclusive sobre a divindade de Yeshua.

    ResponderExcluir
  2. Sobre o que está escrito: << Bíblia Peshita texto em aramaico do século III traduzido para o português
    Mateus 28:19 - "portanto ide, fazei talmidim (discípulos) em todas as nações em meu nome" >>
    Essa tal Bíblia Peshitta traduzida para o português é falsa, pois o autor não conhece o aramaico nem o síriaco da Peshitta Aramaica e pegou a versão de Almeida e a reeditou.
    TODOS OS MANUSCRITOS SEM EXCEÇÃO TRAZEM O TEXTO TRINITARIANO DE MATEUS 28:19, INCLUSIVE A PESHITTA ARAMAICA-SIRÍACA:
    Matthew 28:19 - ܙܸܠܘ ܗܵܟ݂ܹܝܠ ܬ݁ܲܠܡܸܕ݂ܘ ܟܼ݁ܠܗܘܿܢ ܥܲܡ݈ܡܹܐ ܘܲܐܥܡܸܕ݂ܘ ܐܸܢܘܿܢ ܒ݁ܫܸܡ ܐܲܒ݂ܵܐ ܘܲܒ݂ܪܵܐ ܘܪܘܿܚܵܐ ܕ݁ܩܘܿܕ݂ܫܵܐ
    Mattai 28:19 - זֵלו הָכִיל תַּלמֵדו כֻּלהוּן עַממֵא וַאעמֵדו אֵנוּן בּשֵׁם אַבָא וַברָא ורוּחָא דּקוּדשָׁא .
    Mattai 28:19 - zel(w) hāḵīl talmeḏ(w) kulhūn ᶜa(m)mē wa(ᵓ)ᶜmeḏ(w) ᵓennūn bəšem ᵓaḇā waḇrā wərūḥā dəqūḏšā .
    Mateus 28:19 - Ide, portanto, fazei talmidim de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito de Santidade (Mat 28:19)

    Não se pode usar como base doutrinária um comentários de uma bíblia católica, ainda mais que o próprio comentário dá margem para dúvidas: É POSSÍVEL QUE...
    Da mesma forma a versão de Shem Tov, é somente uma tradução parafraseada, não uma tradução literal, onde o seu autor era anti-trinitariano e por isso excluiu parte do texto de Mt 28:19.
    Assim sendo, não se deixem enganar com algo que aparece para apoiar a doutrina particular de vocês, pois tanto o que engana quanto o que se deixa ser enganado prestará contas ao Eterno YHWH.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nemhum maniscrutos antigos consta nome de Trindade ( Mateus 28:19) mostre aqui os maniscrutos !!! Porque em Atos vemos 5 passagens bíblicas citadas no artigo em nenhuma delas consta batismo trinitario, Jerônimo foi quem adultério mesmo

      Excluir
  3. Aquele que acrescentar um iod ou um vav nas sagradas escrituras prestará contas a D'us

    ResponderExcluir
  4. Textos tardios de copistas corruptos não sustentam minha fé, trindade é um engodo de satánas.

    ResponderExcluir
  5. "Ouve, Israel, A-do-nai é nosso D’us, A-do-nai é Um."
    A trindade é invenção da Igreja católica,não vemos nas escrituras os Apostolos sequer mencionar a trindade,eram judeus nazarenos seguidores fiéis de Yeshua e guardadores da verdade,sabiam que só há um Deus ,jamais aprovariam isso.Os bispos de Roma vieram do paganismo Greco-Romano ,estavam acostumados a adorarem vários deuses,e através de concilios ,onde sequer tinha representação Israelita instituiram a trindade.

    ResponderExcluir
  6. Se começarmos a indagar a bíblia como uma fraude, estaremos colaborando com o ministério da apostasia. Eu creio que alguns assuntos deve ser tratado entre pessoas cheia de sabedoria do espírito santo de YAH. e experimentadas nas palavras santas de Yeshua. Assim como foram os apóstolos do cordeiro.
    Mas, infelizmente a letra tem falado mais que o Espírito Santo de YAH, os homens se fizeram sábios, e tornaram-se louco e blasfemos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não meu caro Isael, não se trata de considerar a bíblia uma fraude, mas simplesmente de desmistificação e torná-la verdadeiramente instrumento divino, "cortando-lhe" as arestas, tendenciosamente nela enxertada. Porque se os religiosos continuarem tratando-a como sagrada e inerrante, dentro em breve ela perderá toda credibilidade, pois existem erros notórios e inquestionáveis. De igual forma sabemos que DEUS não erra. Então, sejamos prudentes, ponderados, bons críticos para não acabarmos bitolados, fanáticos e alienados. A letra que tem "matado" o homem NÃO é a correta, mas sim os erros propagados.Então, em primeiro lugar temos que saber que tanto a escrita e a edição, quanto a "montagem" bíblica (conjunto de livros) NÃO foram feitas por DEUS ou seus anjos e sim por homens. Dizer que toda ela é inspirada por DEUS é, ainda que inconscientemente, duvidar do próprio Criador do Universo. Por outro lado, desconsiderá-la completamente é negligenciar o que a Providência Divina vem nos revelando ao longo da história da humanidade.E quanto o Espírito Santo, ele "habita" em todos, logo qualquer pessoa pode compreender sim as coisas de DEUS, NÃO dependemos (com exceção dos "missionários de DEUS") de líderes religiosos. Abraço fraterno...

      Excluir
    2. Não meu caro Isael, não se trata de considerar a bíblia uma fraude, mas simplesmente de desmistificação e torná-la verdadeiramente instrumento divino, "cortando-lhe" as arestas, tendenciosamente nela enxertada. Porque se os religiosos continuarem tratando-a como sagrada e inerrante, dentro em breve ela perderá toda credibilidade, pois existem erros notórios e inquestionáveis. De igual forma sabemos que DEUS não erra. Então, sejamos prudentes, ponderados, bons críticos para não acabarmos bitolados, fanáticos e alienados. A letra que tem "matado" o homem NÃO é a correta, mas sim os erros propagados.Então, em primeiro lugar temos que saber que tanto a escrita e a edição, quanto a "montagem" bíblica (conjunto de livros) NÃO foram feitas por DEUS ou seus anjos e sim por homens. Dizer que toda ela é inspirada por DEUS é, ainda que inconscientemente, duvidar do próprio Criador do Universo. Por outro lado, desconsiderá-la completamente é negligenciar o que a Providência Divina vem nos revelando ao longo da história da humanidade.E quanto o Espírito Santo, ele "habita" em todos, logo qualquer pessoa pode compreender sim as coisas de DEUS, NÃO dependemos (com exceção dos "missionários de DEUS") de líderes religiosos. Abraço fraterno...

      Excluir
    3. É YAUH(Pai) E YAUSHA(Filho)!

      Excluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Mas eu creio o que Shaul profetizou, quando ele disse: " Que se aqueda dos judeu, foi para nós gentios um motivo de glória, quanto maior glória será o restabelecimento desses remanescentes judeus, na fé, em Yeshua." O Salvador deles, e também, nosso.

    ResponderExcluir
  9. Se esses movimentos judaicos, fossem de fato o comprimento das profecias, que os gentios iriam dizer: Iremos convosco, por que sabemos que YAH está com vocês. Por certo, não seriam tão divergentes a respeito da fé em Yeshua. São vários grupos, que descordam entre si, cada um apresenta a sua posição isolada e partidária, que indiretamente, as vezes menospreza o outro. A final de conta, qual a diferença desses movimentos judaicos, para o sistema faccioso do cristianismo? Pra mim nem uma, isso tem mais causado nas pessoas muitas duvidas e desconfiança sobre a fé no Salvador: alguns desse grupo, quer até reeditar a própria história, dizendo que os 2.000 anos, foram em vão para aqueles que invocaram Yeshua como Jesus, e outros querem tira os textos que eles acham que foram enxerto de Roma, só por que eles não conseguem concatenar os textos com o seus pensamentos pré-concebidos. E ficam procurando pretextos, em erros de copistas, mais para se vangloriar, do que, para a edificação dos que buscam a verdade.

    ResponderExcluir
  10. Isael favacho
    Concordo plenamente!
    Aproveitando...
    todos os que ousarem a retirar textos das Escrituras dizendo serem eles inseridos tardiamente, sem terem como provar o que estão afirmando, afinal não viram nada daquilo que afirmam, certamente prestarão contas ao Senhor, que deu a sua Palavra para que fosse pregada a todo o mundo.
    Amém!

    ResponderExcluir
  11. Conclusão: É uma confusão só. Ninguém sabe a Verdade.
    Só quando o verdadeiro Mashiach vier, nos esclarecerá todas as coisas.
    Por enquanto creiamos no Eterno D'us Todo Poderoso, pois que, Ele é Único. É o que nos resta.

    ResponderExcluir
  12. Pensem bem! Será que o Filho de D'us iria contradizer o resto das Escrituras?A ação dos apóstolos em batizar (imergir) foi somente no nome de Yeshua. Ele é o Cordeiro de D'us que tira o pecado do mundo. O seu sangue nos purifica de todo o pecado. Não há outro nome dado aos homens que possa nos salvar. A remissão dos pecados e a imersão devem ser feita em nome de quem derramou o seu sangue e deu a vida por nós. A ordem de batizar em títulos,pois nem fala nome, foi colocada sim depois do Concílio de Nicéia, no quarto século. Foi uma estratégia do inimigo para fazer desaparecer o santo nome do Filho de Elohim no batismo, para não ter o efeito proposto pelo Eterno. É lamentável!...Mesmo com toda a lógica o povo não se dá por avisado. Primeiro Roma criou o sinal da cruz para livrar dos inimigos, depois acrescentou na ordem do batismo. Só não enxerga quem não quer ver ou não for chamado por D'us.

    ResponderExcluir
  13. Na minha bíblia diz o seguinte, Mattiyahu (Mateus) 28-19, Portanto, vão e façam talmidim entre pessoas de todas as nações, imergindo-os na realidade do pai, do filho e do Ruach HaKodesh.

    ResponderExcluir
  14. Complicou muito...Mas eu creio que o Eterno seja (UM) o resto criação.

    ResponderExcluir
  15. complicado, todos tem argumentos para sustentar suas teorias...todos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, basta ser coerentes, Deus é apenas um,Jesus é filho e não Deus, e o Espírito Santo é invenção romana!

      Excluir
  16. Shalom de Yeshua. Muito forte este estudo que 0 eyerno o abençoe.

    ResponderExcluir
  17. Shalom de Yeshua. Que o Eterno o abençoe.

    ResponderExcluir
  18. O Didaquê é datado do primeiro século, e nele está a fórmula batismal trinitária. Vejamos:
    "1Quanto ao batismo, faça assim: depois de ditas todas essas coisas, batize em água corrente, em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

    2Se você não tiver água corrente, batize em outra água. Se não puder batizar com água fria, faça com água quente.

    3Na falta de uma ou outra, derrame água três vezes sobre a cabeça, em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo."
    http://www.monergismo.com/textos/credos/didaque.htm
    Sobre I João 5: 7, Cipriano viveu meio século antes da romanização e diz:
    (5) Diz ainda o Senhor: "Eu e o Pai somos um" (Jo 10,30), e do Pai, do Filho e do Espírito Santo está escrito: "Estes três são um" (1Jo 5,7).
    http://www.ecclesia.com.br/biblioteca/pais_da_igreja/s_cipriano_sobre_a_unidade.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cipriano Não É Nada Perante A Verdadeira E Única Palavra! YAUSHA É Um, YAUH É Outro!

      Excluir
  19. Todos os manuscritos de Mateus que contém o capítulo 28, têm a fórmula trinitariana!

    ResponderExcluir
  20. Que pena, versículo que eu mais gosto agora vocês falam que é falso.

    E estes sinais seguirão aos que crerem: Em meu nome expulsarão os demônios; falarão novas línguas;
    Pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porãoas mãos sobre os enfermos, e os curarão.
    Marcos 16:17,18

    ResponderExcluir
  21. Shalom , tenho aprendido que existe aproximadamente 3000 erros de tradução a maioria no chamado novo testamento , sendo assim fica difícil fazer sua leitura sem questionar , porem a Torah sofreu poucas adulterações , entendo o seguntey, se algum texto do " novo testamento" contrariar a Torah esse texto deve ser ignorado.

    ResponderExcluir
  22. qual seria a Bíblia mais fiel a verdade ?

    ResponderExcluir