quinta-feira, 18 de julho de 2013

O SINAL DO ETERNO ATRAVÉS DOS SÉCULOS



O Sinal do Eterno Através dos Séculos

Texto chave:

"Também lhes dei os meus Sábados, para servirem de SINAL entre Mim e eles, para que soubessem que Eu Sou o Eterno que os santifica" (Ezequiel 20:12)


Justificativa:

Considerando que o movimento da Restauração tem como objetivo a Visão Profética do Retorno às Origens da Igreja Primitiva(dos primeiros séculos da era messiânica) e sabemos que não se pode fazer uma verdadeira Restauração sem antes conhecer detalhadamente como era o ORIGINAL, e para desfazer definitivamente as FALSAS idéias criadas pela Igreja Católica sobre vários assuntos e principalmente sobre o Dia estabelecido pelo Eterno para a sua adoração universal, sendo que Adonai Eterno sempre deixou bem CLARO a seu povo ao longo dos séculos, a sua VONTADE e o seu desejo de que TODOS fossem um só povo e um só rebanho, sem nenhuma diferença racial, étnica ou doutrinária.
Assim sendo, abro este tópico para elucidar qualquer dúvida que ainda paire sobre as mentes de alguns, à respeito de como o Eterno deseja que se Celebre o seu culto milenar, celebrado por todos aqueles que deixaram de lado suas vaidades e seu orgulho e escolheram fazer aquilo que "agrada ao Senhor" (Isaías 56:4)

Objetivos:

I- Mostrar as origens milenar do Shabat/sábado.

II - compreender que o assunto em pauta NÃO se trata de uma "doutrina" e nem de algum "dogma" que deva ser seguido obrigatoriamente com fins de "salvação" ou "justificação", mas com amor e liberdade de consciência, seguindo o desejo do Eterno.

III - Verificar como Adonai guiou os passos de seu povo e Velou por sua Palavra, não deixando que fosse destruída, extinta ou perdida no tempo, Promovendo a sua continuidade por meio de suas FIÉIS TESTEMUNHAS (Apocalipse 14:12), através dos Séculos até nossos dias.

IV - Analisar como Satã tentou intervir de várias maneiras, criando e promovendo Heresias, falsas idéias, inverdades e doutrinas maléficas contra o Sinal do Eterno.

Observação Geral:

Todas as fontes para Pesquisa Bibliográfica estão logo abaixo de cada Citação.

O Bereshit, A Origem:

"Bereshit barah Elohim et hashamay ve et ha aret'z"  (Gênesis 1:1)

"No Princípio, Criou Elohim os Céus e a terra"

"Vaykra Elohim bay yom ha Sheby'y melak'to asher asah vayish botba yom ha'sheby mikol mela'kto asher asah. Vaybarek Elohim et yom hasheby vay Kodêsh oto ky bô Shabbat mikol melak'to asher baráh Elohim la'asot" (Gênesis 2:2 e 3)

"E, havendo D’us terminado no Sétimo Dia a sua obra, que tinha feito, Descansou neste dia de toda a sua obra que tinha feito. E Abençoou Elohim o Sétimo Dia e o Santificou; porque nele Descansou de toda a sua obra que, sendo o Criador, fizera."

Há aqui 3 coisas a se considerar, Adonai DESCANSOU, ABENÇOOU e SANTIFICOU o Shabat.
Sobre o descanso, foi para deixar o EXEMPLO ao homem, pois Adonai Eterno nunca se cansa (Isaías40:28)
Abençoou, assim este Dia carrega uma BENÇÃO, que é derramada sobre todos aqueles que se LEMBRAM de D’us e o reconhecem como Senhor e Criador.
Santificou, logo, este Dia é separado ou Consagrado a um serviço Santo, celebração de culto ao Santíssimo D’us Eterno.
A quem foi dado então esta Celebração da Vida?, Yeshua responde:

"O Shabat foi estabelecido por causa do homem e não o homem por causa do Shabat" (Marcos 2:27)

Primeiro foi criado o homem e depois Adonai lhe presenteou o Shabat para que o homem NUNCA se esquecesse quem é o seu Criador, por isso Adonai pôs em suas Dez Palavras Sagradas o Shabat em forma de um pedido: "Lembra-te....." (Êxodo 20:8)
Pois o Eterno já sabia que o homem influenciado pelas idéias de Satã, iria esquecer de agradecer ao seu Criador pela Vida de cada Dia, deixando de celebrar este culto por sua vida ao Eterno.
O Shabat NÃO está vinculado a NENHUM pensamento Religioso e nem a nenhuma religião, pois quando ele foi estabelecido não havia nenhuma religião institucionalizada, o Shabat é então um Patrimônio da Humanidade.

O Sinal do Eterno no Período da Criação:

A Primeira Celebração de culto de Ação de Graças no Shabat, em honra a tão maravilhosa criação do Eterno foi realizada pelos seus Malahim/anjos juntamente com os primeiros representantes da humanidade, Adão e Eva.

"Onde estavas tu, quando Eu lancei os fundamentos da terra? dize-mo, se tens entendimento,.......Quando as Estrelas da Alva(anjos) juntas Cantavam alegremente e Celebravam todos os filhos de D’us?" (Jó  38:4 e 7)

O Sinal do Eterno no Período Patriarcal:

Da mesma forma como a Torah Oral foi repassada de pai para filho, pelos Patriarcas, o Sinal do Eterno também foi celebrado durante a Era Patriarcal, verificamos isto, pelo fato de os israelitas antes de chegarem ao Monte Sinai para receberem a Torah Escrita, eles já conheciam e celebravam o Shabat desde o Egito.

"No sexto dia, colheram pão em dobro, dois ômeres para cada um, e os principais da Kelihá vieram e contaram a Moisés, respondeu-lhes ele; isto é obra do Eterno, amanhã é o seu repouso, o Santo Shabat do Eterno.......Então disse Moisés: podem comer o pão hoje, que é o Shabat de Elohim, porque hoje não encontrareis no campo,.....Vós já sabeis que o Eterno nos deu o Shabat, por isso Ele, no sexto dia vos dá pão para dois dias....." (Êxodo 16:22 ,23, 25 e 29)

O Sinal do Eterno no Período Profético:

O Sinal do Eterno foi RECONHECIDO por Todos os Profetas de D’us, em todos os períodos da história do Cânon Bíblico.

Profeta Isaías: "Se desviares o teu pé de pisares no Shabat e de cuidar de teus próprios interesses no meu Santo Dia, mas se considerares o Shabat deleitoso, Santo Dia do Eterno, digno de honra e honrares o Eterno não seguindo os teus caminhos, não pretendendo fazer a tua própria vontade, nem falando palavras torpes, então te deleitarás no Eterno, EU te farei cavalgar sobre as altas montanha da terra e te sustentarei com a herança de Yakov, teu pai, porque foi a Boca do Eterno quem disse isto" (Isaías 58:13 e 14)

Profeta Jeremias: "Se, deveras, me ouvirdes, diz Adonai, não introduzindo cargas pelas portas desta cidade em dia de Shabat, mas se santificares o shabat, não fazendo nele obras seculares, então pelas portas desta cidade entraram príncipes, que se assentarão no trono de Davi........" (Jeremias 17:24 e 25)

Profeta Ezequiel: "Os seus sacerdotes transgridem a minha Torah e profanam as minhas coisas Santa; entre o santo e o profano não fazem diferença, nem separam o imundo do limpo e do meu Shabat escondem os olhos, assim Sou profanado no meio deles" (Ezequie l22:26)

Neemias: "Dando já as sombras do pôr-do-sol as portas de Yerushalaim antes do Shabat, , ordenei que se fechassem; e determinei que não se abrissem , senão depois do Shabat......" (Neemias 13:19)

Obs. 1: O Profeta Isaías profetizou o surgimento da Igreja de D’us, composta de judeus e gentios adorando e celebrando juntos cultos ao Eterno no Shabat, ler Isaías 56:1 a 8

O Sinal do Eterno no Período Nazareno,  a Nova Aliança:

Yeshua, o Mashiach, o enviado do Eterno, ele é o ÚNICO que deve ser seguido, imitado e exemplificado, ele nos deixou o seu exemplo de devoção ao seu Pai Eterno, indo semanalmente a congregação no Shabat, seguindo o Sinal do Eterno,  estabelecido desde a fundação do mundo.

"Tendo Yeshua partindo dali, entrou em uma sinagoga(num Shabat) Mateus 12:9

"Depois, entraram em Cafarnaum, e logo que chegou o Shabat, foi Ele ensinar na Sinagoga" Marcos 1:21

"E indo Ele para Nazaré, onde tinha sido criado, entrou num Shabat, na sinagoga, segundo era o seu COSTUME e levantou-se para Ler"  Lucas 4:16

"E desceu a Cafarnaum, cidade da Galileia, e os ensinava no Shabat"  Lucas 4:31

"Aconteceu que, em um certo Shabat, entrou Ele na Sinagoga e ensinava......." Lucas 6:6

"Ora, [como era de costume], ensinava Yeshua no Shabat numa Sinagoga"  Lucas 13:10

Os primeiros seguidores de Yeshua, também seguiram o seu exemplo e continuaram a celebrar o Shabat:

"Era o dia de preparação e começava o Shabat. As mulheres que tinham vindo da Galiléia com Yeshua, seguindo, viram o túmulo e como o corpo fora ali depositado. Então partiram para preparar aromas e bálsamos. E no Shabat, repousaram de acordo com o mandamento"  Lucas 23:54 a 56

O Sinal do Eterno no Período Apostólico, início da Congregação  Primitiva:

Os apóstolos de Yeshua, tiveram a grande comissão de levarem a Palvra do Evangelho a cada nação, tribo, povo e língua; é claro que muitas ordenanças da Antiga Aliança não já não eram mais necessário observá-las, e todos os apóstolos estavam cientes disto, eles sabias muito bem, quais dos costumes poderiam continuar sendo seguido, pois eram edificantes a vida espiritual do crente, sendo assim, muitos costumes foram deixados na Nova Aliança oriundos do judaísmo, entre os quais podemos citar o costume de se Jejuar, de se saldar com a "paz do Senhor", de pronunciar bençãos, de apresentar um recem nascido a D’us, entre outros, assim o Shabat não ficou de fora, pois temos o testemunho dos Apóstolos.

"Eles atravessaram de Perge para a Antioquia da Pisídia, indo num Shabat à Sinagoga, assentaram-se" Atos 13:14

"Ao saírem eles, rogaram-lhes que no Shabat seguinte, lhes falassem as mesmas Palavras,.....E no Shabat seguinte, afluiu quase toda a cidade para ouvir a Palavra de D'us" Atos 13:42e44

Obs. 2: Quando chegava o Shabat, procuravam uma congregação para juntos poderem cultuar e estudar a Palavra Sagrada.

"Quando chegou o Shabat, saímos da cidade para junto de um rio, onde nos pareceu haver um lugar para nossas orações; e, assentando-nos, pregamos às mulheres que para lá tinham ido" Atos 16:13

Obs. 3: Mesmo onde não havia ainda uma Igreja ou uma congregação judaica em alguma cidade, chegando o Shabat, os apóstolos se retiravam das cidades procurando um local adequado, longe do ambiente pagão, para celebrarem o tão milenar culto ao Eterno.

"Paulo, segundo era o seu COSTUME, foi procurá-los, e por três Shabat's, conversou com eles acerca das Escrituras" Atos 17:2

Obs. 4: Paulo apóstolo dos gentios, seguindo o exemplo de seu Mestre, Yeshua(Lucas4:16), também tinha o costume de celebrar e estudar a Palavra no Shabat.


"E todos os Sábados, discorria na Sinagoga, convertendo tanto judeus como gregos" Atos18:4

O Sinal do Eterno no Período do I Século da era Messiânica:

Após a morte dos apóstolos e fechamento do Cânon do Novo Testamento, temos apenas o testemunho de pessoas que vieram na época(a chamada patrística) ou de historiadores que viveram poucos séculos depois, mas que conheciam, através de registros históricos como viviam os primeiros seguidores do Messias.

Testemunho de Sócrates Scholasticus:
"Quase todas as igrejas no mundo celebram os sagrados mistérios no Sábado de cada semana"

"Então, a semente espiritual de Abraão(os cristãos) fugiram para Pela, do outro lado do Jordão, onde encontraram um lugar de refúgio seguro, e assim poderem servir a seu Mestre e celebrar o seu Sábado"
Sócrates Scholasticus, Ecel. History

O Sinal do Eterno no Período do II Século da era Messiânica:

Afirmação de D. T. H. Morer:
"Os cristãos primitivos tinham grande veneração pelo Sábado, e dedicavam o dia para devoção .....Eles receberam essas práticas dos apóstolos, conforme vários escritos para esse fim"
D. T. H. Morer (Church of England), Dialogues om the Lord's Day, Londres, 1701

Testemunho de Tertuliano(155 a 222):
"Na questão de ajoelhar-se, também a oração pode ser feita de várias maneiras, embora haja alguns que se abstenham de se ajoelhar no Sábado, uma vez que esta divergência está sendo considerada pelas igrejas, o Senhor dará a sua graça para que os não concordam com isto cedam........
On Prayer, cap. 23. Em The Ante-Nicene Fathers, vol. III, pág. 689

Testemunho de Orígenes(185 a 254):
"Depois da celebração do sacrifício contínuo, vem a segunda festividade, a do Sábado, e é apropriado para quem for de direito entre os santos, celebrar também a festa do Sábado......No Sábado nenhum ato mundano deve ser realizado. Se, portanto repousardes, de toda as obras seculares, não deveis fazer coisa alguma mundana, mas estareis livres para as obras espirituais........."
Homily on Numbers 23, par. 4 em Migne, Patrologia Graeca, vol. XII. cols. 749 e 750
O Sinal do Eterno no III Século da era Messiânica:

Testemunho de Hermas Sozomeno(399 a 443)
"O povo de Constantinopla, e de quase todas as partes, reúnem-se no Sábado,..........costume que nunca é observado em Roma, nem em Alexandria"
Ecclesiastical History, livro 7, cap. 19, em Nicene and Post-Nicene Fathers, 2ª série, vol. II, pág. 390

Atanásio(298 a 373), já influenciado pelo anti-semitismo.
"Reunimo-nos no Sábado, não porque estejamos infectados de judaísmo.....Acheguemo-nos ao Sábado para adorar a Cristo, o Senhor do Sábado"
Pseudoathan, da semente, tomo I, pág. 885

Agostinho(354 a 430)
"Neste dia, que é o Sábado, costumam reunir-se, na maior parte, os desejosos da Palavra de Deus......em alguns lugares, a comunhão ocorre diariamente; em outros somente no Sábado; e em outros somente no domingo"
Sermão 128, tomo VII, pág.629, Epistola ad Janerius, cap. 2

O Sinal do Eterno no IV Século da era Messiânica:

Testemunho de Johannes Cassianus, monge egípcio(360 a 435)
"Portanto, exceto os cultos vespertinos e noturnos, só há culto de dia no Sábado e, por ordem do concílio, no primeiro dia da semana, quando então os monges se reúnem à terceira hora para a comunhão"
De Institutiones Coenobiorum, livro III, cap. 2, em Nicene and Post-Nicene Fathers, 2ª série, vol. XI, pág. 213

Historiador Peter Heylyn(1636)
"Na igreja de Milão, o Sábado era tido em alta consideração, não que as igrejas do oriente ou qualquer outra que celebrasse o Sábado, fossem inclinadas ao judaísmo, mas elas se reuniam no Sábado para adorar a Jesus, o Senhor do Sábado"
Dr. Peter Heylun, History of the Sabbath, Londres, 1636

O Sinal do Eterno no Período do V Século da era Messiânica:

Historiador Lymam Colemam(1796 a 1882)
"Rotrocedendo mesmo ao quinto século, foi contínua a observância do Sábado judaico na igreja na Igreja Cristã, mas com rigor sempre decrescente....."
Ancient Christianity Exemplified(1852), cap. 26, seção 2.

Aurelius Augustinus(354 a 430)
"Se dissermos que é errado jejuar no Sétimo dia, condenaremos não somente a igreja de Roma, mas também muita outras igrejas...........nas quais o mesmo costume continua sendo praticado......"
Carta 82, de Agostinho a Jerônimo, parágrafo 14, Nicene and Post-NiceneFathers, 1ª série, vol. I, pág. 353 a 354

O Sinal do Eterno no Período do VI Século da era Messiânica:

Papa Gregório I(540 a 604)
"Gregório I, bispo pela graça de Deus, a seus amados filhos, os cidadãos de Roma: Chegou ao meu conhecimento que certos homens de índoles perversa tem disseminado entre vós coisas depravadas e contrárias a santa fé, pois proíbem que se faça qualquer trabalho no Sábado, como os chamarei senão de pregadores do anticristo"
Epitles, b. 13:1, em Labbes and Cossart, Sacrosancta Concilia, vol. V., col. 1511

O Sinal do Eterno no VII Século da era Messiânica:

O Testemunho da Igreja Celta
"Nas igrejas Celticas, primitivas, era costume, tanto na Irlanda quanto na Escócia, celebrar o Sábado....como um dia de descanso. Estes cristãos obedeciam literalmente o quarto mandamento"
Jas C. Moffatt, The Church in Scotland

O Sinal do Eterno no VIII Século da era Messiânica:

Testemunho da Igreja da Escócia
".....Eles(cristãos escoceses) parecem ter seguido o costume do qual encontramos vestígio na primitiva igreja monástica da Irlanda, ou seja, afirmavam que o Sábado era o sétimo dia no qual descansavam de suas atividades"
W. T. Skene, Adamnan's Life of St. Columba, 1874, pág. 96

O Sinal do Eterno no IX Século da era Messiânica:

Historiador B. G. Wilkinson
"O papa Nicolau I, no nono século, enviou ao príncipe da Bulgária um extenso documento dizendo que se devia cessar o trabalho no domingo, mas não no Sábado. o líder da Igreja Grega, ofendido com a interferência do papado, declarou o papa excomungado"
B. G. Wilkinson, Ph.D., The Truth Triunphant, pág232

O Sinal do Eterno no X Século da era Messiânica:

Testemunho histórico
"Os seguidores de Nestor não comem carne de porco e guardam o Sábado, não crêem em confissão auricular e nem no purgatório"
New Schaff-Herzog Encyclopedia, artigo: "Nestorianus"

O Sinal do Eterno no XI Século da era Messiânica:

Margaret da Escócia(1060)
"Margaret da Escócia tentou arruinar os seguidores de Columba, oponde-se aos que observavam o Sábado do Sétimo dia em vez do domingo"
T. R. Barnett, Margaret of Scultland Queen and Saint, pág. 97

O Sinal do Eterno no XII Século da era Messiânica:

O Testemunho dos Waldenses
"A celebração do Sábado era uma fonte de alegria para eles"
History of the Waldenses, vol. 1. pág. 220

"Os Picardos ou Waldenses, não celebravam festividades a virgem Maria e aos apóstolos, alguns não festejavam dias santos, outros, entretanto, só observavam o Sábado como os judeus"
J. J. Ign. Dollinger(1799 a 1890) - Beitrage zur Sektengeschichte des Mittelalters(Munich, Beck 1890), vol. II, pág. 662

O Sinal do Eterno no XIII Século da era Messiânica:

Concílio de Toulouse(1229) Canon 3
"Os senhores de diversos distritos devem procurar diligentemente as vilas, casas e matas, para destruir os lugares que servem de refúgio dos observadores do Sábado"

Canon 4
"Aos leigos não é permitido adquirir os livros tanto do Antigo quanto do Novo Testamento" Hefele

O Sinal do Eterno no XIV Século da era Messiânica:

Os Cristãos da Boêmia
"Em !310, cristãos da Boêmia que tiveram contatos com os Waldenses, que haviam em grande número na Áustria, Lombardia e norte da Alemanha, segundo Erasmo, estes cristãos tinham um estranho costume de celebrar cultos a cada Sábado"
Robert Cox, The Literature of the Sabbath Question, vol. 2, pág. 201 e 202

O Sinal do Eterno no XV Século da era Messiânica:

Concílio católico realizado em Bergen, Noruega(1435)
"Estamos cientes de que algumas pessoas em diferentes partes de nosso reino adotam e observam o Sábado, que a todos é terminantemente proibido no Canon da Santa Madre Igreja"
Dip. Norveg., 7, 397

O Sinal do Eterno no XVI Século da era Messiânica:

Na época da reforma protestante, Lutero já debatia com cristãos fiéis observadores do Shabat, eis uma resposta de um deles, Andreas Rudolf Karlstadt, a Lutero
"Quando os servos tenham trabalhado seis dias, devem ter o sétimo livre, Deus disse com toda clareza: Lembrai-vos de observar o Sábado......com relação ao domingo, tu o sabes que os homens o inventaram"
Von dem Sabbath und Gebothen Feyertagen (1524), cap. IV, pág. 23

Obs. 6: Do Século XVIII ao Século XX, começam os movimentos restauracionistas, onde se destacaram várias congregações sabatistas.

Porém, deixei por último o TESTEMUNHO desta Igreja, pois ela, apesar de adquirir alguns costumes regionais, sempre se manteve FIEL quanto a celebração e adoração ao Eterno deixado pelos apóstolos de Yeshua, reconhecendo o SINAL deixado por Ele, para todas aqueles que querem ser chamados de povo de Deus, "o meu povo que se chama pelo meu Nome".
A história desta Igreja está relatada em Atos 8:26 a 39, estou me referindo a Igreja Etíope, fundada pelo apóstolo Filipe, esta Igreja manteve entre outros costumes, o culto de celebração no Shabat, alguns acreditam que a Arca da Aliança esteja guardada entre eles.
Assim como podemos comprovar:

"Quando o Islamismo se difundiu por todo o Oriente, o Cristianismo já tinha chegado na Etiópia, desde então, o Islã isolou a Etiópia do mundo cristão fazendo com esta igreja evoluísse separadamente, a igreja Etíope apresenta algumas características incomuns, como a guarda do Sábado e as festas judaicas"
WILKINSON, Philip. O Livro Ilustrado das Religiões. São Paulo: Publifolha, 2001, pág. 99

Conclusão:

Como eu já citei anteriormente, não se trata de uma doutrina ou dogma que deva ser obedecido a ferro e fogo, é por amor e liberdade de consciência, depende da aceitabilidade do pedido de Deus: "Lembra-te....."
Também esta celebração não está vinculada a NENHUMA religião, o Shabat transcende qualquer pensamento religioso, pois está LIGADO DIRETAMENTE ao Eterno, é o que nos identifica com o nosso Criador:

"Por isso, lhes dei os meus Sábados para que servissem de SINAL entre mim e eles, para que soubessem que Eu Sou Adonai, o Eterno que os santifica" (Ezequiel 20:12)

O repouso semanal do Shabat é uma preparação para o grande descanso, o Shabat Gadol, que iremos passar na eternidade com Yeshua, quando enfim, Adonai nos der repouso de todas as nossas tribulações, perseguições e aflições deste mundo perverso, relatado em Hebreus:

"Portanto resta um repouso Sabático para o Povo do Eterno, porque aquele que aceitou o descanso de Deus, também este tal descansou de suas obras, como Deus das suas" (Hebreus 4:9 e 10)

Assim, quando paramos os nossos afazeres para dedicarmos um culto ao Eterno em seu santo dia, estamos nos ligando diretamente com o Ele, mas um dia, quando Yeshua nos levar para a glória de seu reino, aí sim, entraremos no descanso milenar e estaremos para sempre com Ele, portanto, como diz o autor de Hebreus:

"Esforcemo-nos para entrar naquele descanso, tendo cuidado em não cairmos em DESOBEDIÊNCIA, deixada como exemplo"  (Hebreus 4:11)

A bíblia está cheia de exemplos de desobedientes que, seguindo pensamentos humanos, se recusaram adorar o Senhor "na beleza de sua santidade"
Adonai busca seus verdadeiros adoradores que o adoram em Espírito e em Verdade(João4:23), para isto o Eterno deu o seu Sinal:

"Santificai os meus sábados, pois é o SINAL entre mim e vos, para que saibais que Eu Sou o Eterno, o vosso Elohim"  (Ezequiel 20:20)

"Conheçamos e prossigamos em Conhecer ao Eterno; como a Alva, a sua vinda é certa; Ele descerá sobre nós como a chuva, como a chuva cerôdia que rega a terra" (Oseias 6:3)

Outras Considerações:

Existe um TABU e um certo MEDO exagerado de se conhecer o Shabat do Eterno e suas funções espirituais, porém isto é o resultado de uma longa LAVAGEM CEREBRAL realizada pela igreja de Roma, que introduziu superstições e o medo contra tudo que viesse ou estivesse ligado aos judeus.
Isto foi uma boa estratégia realizada pela ICAR, pois, mesmo que uma parte dos judeus não aceitasse a Cristo, eles ainda assim se mantiveram agarrados às práticas bíblicas, o que deixava a  igreja de Roma muito preocupada, pois ela havia promovido justamente o contrário, o total afastamento do cristianismo das práticas da Bíblia, criando e inventando doutrinas falsas e dogmas colocando-os no lugar da Palavra de Deus.
Assim, se um cristão visse um judeu celebrando o Shabat, ele iria se questionar: Jesus não era judeu e celebrava o sábado? e seus discípulos também?, porque que eu não posso fazer o mesmo?, que mal há nisso?, pois foi exatamente o que aconteceu após a morte dos apóstolos, por isso a igreja de Roma criou os falsos argumentos tais como: quem celebrasse o sábado iria para o inferno, sua alma iria queimar no fogo eterno, estaria debaixo da maldição da lei, pois os judeus são um povo amaldiçoado e tinham que morrer pois rejeitaram Jesus.
E de fato houve muita matança de judeus naquela época, e assim nasceu o medo, o nojo e o preconceito por tudo aquilo que estivesse ligado ao povo de Yisrael.
Assim, até hoje, os ditos cristãos nutrem uma verdadeira aversão pelo Shabat, é a prática espiritual mais combatida por todos os protestantes, por isso, este artigo foi escrito, para DISMISTIFICAR toda falsa teoria que se formou em torno do Shabat ao longo dos séculos.
Muita alegações tem sido levantadas sobre o Shabat, se pode ou não pode, se é certo ou não é, se deve ou não deve ser celebrado, dentre as quais, as mais frequentes são:

a-) Todo cristão salvo em Cristo e vivendo na Graça é obrigado a celebrar o sábado?

Resposta: Absolutamente NÃO, aliás, NADA é obrigatório na graça, ela não é de graça??, logo TUDO deve ser feito com AMOR e devoção, ou seja:
* Não é obrigatório louvar a D’us, isto é feito do funda da alma.
* Não é obrigatório Orar ao Senhor, isto é feito por comunhão com D’us.
* Não é obrigatório ir a Igreja.
* Não é obrigatório ler a Bíblia, ler quem deseja ouvir a voz de D’us.
* Não é obrigatório dar o dízimo(embora muitos pastores façam um verdadeiro terrorismo psicológico com quem não pode dar)
Na graça, NADA é obrigatório, então porque se faz? simples, porque são práticas edificantes, edificam a alma e o espírito, assim é o Shabat, é uma prática edificante, pois o adorador liga-se ao seu Criador em uma atmosfera de adoração e louvor perfeita, pois este dia foi criado pelo Eterno exatamente para esta finalidade, aproximar a criatura do seu Criador, sem falar que é um dia abençoado, ou seja carrega uma BENÇÃO que só é usufruída por aqueles que a experimentam.
Outro argumento muito bobo e infantil:

b-) Existem vários calendários, qual deles é o certo? e qual deles o sábado está posto corretamente? e D’us não está preso ao tempo e ao espaço.

Resposta: O Eterno não se limita ao tempo e ao espaço, porém nós sim, nós precisamos dos dias, das noites, dos meses, dos anos e das estações, por isso Adonai nos deu o Shabat, quanto ao Calendário, Adonai só deixou um, aquele que foi iniciado na criação, o Ano 1(um) começou no Éden e este tem uma semana de 7 dias, hoje estamos no ano 5773 da Criação da terra. Outra coisa, os calendários mudam mas o ciclo Semanal NÃO, logo, sábado será sempre sábado em qualquer calendário, só muda a nomenclatura, mas o 7º Dia é o mesmo, assim, os gentios restauracionistas e os judeus que vivem na China celebram o Shabat no mesmo Sétimo dia do calendário Chinês, só muda o nome, portanto, um argumento muito pobre e falho.

Outro argumento:
c-) Eu não sinto nenhuma vontade ou desejo de celebrar o sábado, vou perder a minha salvação por isto?

Resposta: É Claro que NÃO, mas só lembrando que a Santificação é uma escada que precisa ser galgada, Paulo disse:

"Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem nenhum, pois o querer fazer o bem está em mim; porém, não o efetuá-lo. Porque não faço o bem que prefiro, mas o mal que não quero, este eu faço" (Romanos 7:18 e 19)

Assim, de nós mesmos nem seríamos crentes, pois não está em nós fazer o bem, se Adonai fez uma obra em nossas vidas levando-nos a aceitar ao Messias, então não devemos ficar de braços cruzados e acomodados, como se isto fosse o suficiente, precisamos a cada dia buscar a santificação, sem a qual NINGUÉM verá o Senhor, assim, se você não sente o desejo, então busque, assim como Paulo novamente escreve:

" Porque é D’us quem efetua em nós tanto o querer como o realizar, segundo a sua vontade"  (Filipenses 2:13),  

É D’us quem põe em nós a prática do bem, porém devemos buscar:

"Buscar-me-eis e me achareis, quando me buscares de todo o vosso coração"

d-) Eu não vou celebrar o sábado porque isto é coisa de judeu, eu sou cristão e estou na graça.

Resposta: Há duas coisas absurdas a se considerar neste argumento falacioso:

1- Quando o Eterno estabeleceu o Shabat na Criação, não havia raça alguma, ou povo algum, apenas um casal recem-criado, os representantes de TODA a humanidade, e foram eles juntamente com os anjos que celebraram o primeiro Shabat.

2- Este argumento está recheado de preconceito e racismo, que são dois sentimentos totalmente anti-cristãos, portanto, sem comentários.
Só lembrando que, quando Yeshua disse: "O shabat foi estabelecido em prol do homem......"(Marcos 2:27), a palavra traduzida por "homem" no texto grego é "anthropós", que quer dizer genericamente homem ou ser humano ou simplesmente humanidade, não se limita a uma "raça" em particular, como a graça foi estendida a toda a humanidade, logo o Shabat também.


Rosh: Marlon Troccolli

0 comentários:

Postar um comentário