domingo, 10 de setembro de 2017

YESHUA CUMPRIU A PROFECIA DO PORTÃO DOURADO?




Yeshua Cumpriu a Profecia do Portão Dourado?

Yeshua não cumpriu a profecia de Ezequiel 44:1-2, veja o porquê.

Introdução:

Shalom, amigo (a) leitor (a), mais uma vez, estou escrevendo um estudo que causará a insatisfação dos adoradores de Jesus. Usando as Sagradas Escrituras, vou provar que, certas profecias não se aplicam a Yeshua. Numa tentativa farsante de mostrar que Jesus é Deus, os falsos adoradores fizeram de tudo, para anexar uma passagem sagrada ao seu deus. Começaremos com o texto usado para afirmar a divindade de Jesus.

Antes de iniciar, vou deixar claro, que cremos ter sido Yeshua o justo de D’us, foi um profeta, um mensageiro, um restaurador e cremos em seus ensinos que estão em harmonia com a toráh.

Leremos agora um texto muito conhecido do livro de Mateus, que retrata a entrada de Yeshua em Yerushalaym (Jerusalém) e também ao templo.

Matityahu – Mateus 21:1-11

“1 Quando se aproximaram de Yerushalaim e chegaram a Betfagé, ao monte das Oliveiras, então enviou Yeshua dois talmidim,
2 dizendo-lhes: Ide à aldeia que está defronte de vocês, e logo encontrareis uma jumenta presa, e um jumentinho com ela; desprendei-a, e trazei-os para mim.
3 E, se alguém disser a vocês alguma coisa, direis: O Adon precisa deles. E imediatamente os enviará.
4 Ora, tudo isso aconteceu para que se cumprisse o que foi dito pelo [1]navi:
5 Dizei à filha de Tzion: O teu Melech vem a ti, manso, e montado sobre um jumento, sobre um jumentinho, filho de jumenta.
6 Indo, os talmidim e fazendo como Yeshua lhes ordenara,
7 trouxeram a jumenta e o jumentinho, e puseram sobre eles seus mantos, e o fizeram sentar sobre eles.
8 E uma multidão mui grande estendeu seus mantos pelo caminho; e outros cortavam ramos das árvores e os espalhavam pelo caminho.
9 E as multidões que iam adiante, e que seguiam, clamavam, dizendo: Hosana ao Filho de David! Bendito o que vem em nome do ETERNO! Hosana nas alturas!
10 Ao entrar ele em Yerushalaim, toda a cidade se alvoroçou, dizendo: Quem é este?
11 E as multidões respondiam: Este é Yeshua, o navi de Natzri da Galileia. ”

A profecia do versículo cinco (5), é do profeta Zacarias 9:9, mas não será essa a premonição que vamos analisar. O versículo chave é:  Ezequiel 44:1-2.

“ Então me fez voltar para o caminho da porta exterior do lugar sagrado, a qual olha para o oriente; e ela estava fechada. E disse-me YHVH: Esta porta ficará fechada, não se abrirá, nem entrará por ela homem algum; porque YHVH Elohim de YisraEL entrou por ela; por isso ficará fechada. ”

Analisando a Profecia:

“Esta porta ficará fechada, não se abrirá… e … porque YHVH ELohim de YisraEL entrou por ela…”.

Os falsos adoradores alegam a divindade de Yeshua  baseando-se nessa passagem do profeta Ezequiel 44:1-2. Vou relembrar o que é dito por eles: “Yeshua entrou pela porta ao leste e a mesma foi fechada e permanece até hoje lacrada”. Seria isso uma prova que Yeshua é divino? Veja abaixo a foto do portal oriental (virada para o leste, nascente do sol)

Observe na foto ao lado, em que o portão oriental do templo está lacrado, essa foto é usada por muitos líderes religiosos para afirmar a divindade de Yeshua. Vou refazer a pergunta: Seria isso uma prova que Yeshua  é o D'us de Yisrael? Para aqueles que acreditam nessa falácia, vamos então analisar o livro de Ezequiel, e de capítulo em capítulo, vamos revelando a verdade.

Vamos apenas recapitular o raciocínio dos adoradores de Yeshua:

1º O D'us de Yisrael disse por meio do profeta que a porta ficaria fechada porque Ele passou por ela.
2º Yeshua passa pela porta “para se cumprir a profecia ” depois disso ela é fechada.
3º A porta permanece fechada até hoje e isso é uma prova real e física da divindade de Yeshua.

Essas três considerações são praticamente as essenciais utilizadas pelos A.J. (Adoradores de Jesus).

Para uma pessoa que não estuda a Bíblia como um detetive, será difícil discordar dessa explicação cristã. É preciso muita dedicação e oração para não cair nessa armadilha. Um labirinto de textos fora do contexto, e muita confiança num manuscrito (N.T) que por diversas vezes foi manipulado pelos copistas.

A partir de agora, vamos fazer uma análise profunda do livro do profeta Ezequiel, e provaremos a total discrepância entre Jesus e a profecia do capítulo quarenta e quatro (44).

Caro (a) estudante, peço a você que leia os seguintes capítulos por completo; 40, 41, 42, 43, 44, 45, 46, 47 e 48 você perceberá que, em todos esses capítulos o profeta fala do templo, o Beit HaMikdash (Casa da Santidade). Analisando do capítulo 40 ao 43 percebemos que a visão se trata de um templo. No versículo quatro (4) o profeta disse que o poder (glória) do Eterno entrou pela porta leste, veja:

“ E a kevod (glória) de YHVH entrou no Templo pelo caminho da porta oriental. ”

Observe que o profeta usa o verbo “entrar” no passado, “entrou”. Vamos prosseguir, e depois voltaremos a essa passagem.  No versículo 7 do capítulo 43 do mesmo livro, notamos um verso chave para o entendimento, leia:

“ E disse-me: Filho do homem, este é o lugar do meu trono, e o lugar das plantas dos meus pés, onde habitarei no meio dos israelitas para sempre; ”

Versículo 9 “…e habitarei no meio deles para sempre”, na visão é apresentado a Ezequiel um templo que permaneceria para sempre (vv. 7) onde o Eterno habitaria no meio dos israelitas por toda eternidade (vv. 9). Com esses versículos entendemos que o templo visto pelo profeta não seria destruído, e permaneceria pelos séculos dos séculos.

Revendo os capítulos:

1º – A visão se trata de um templo futuro.
2º – O templo seria a morada do Eterno para sempre no meio dos israelitas e nunca mais seria destruído.
3º – O portão leste (oriental) foi fechado porque o poder (gloria) do Eterno passou por ele.

Vamos continuar nossa análise. Prossigamos para o capitulo 44: 1-3:

“ 1 Então me fez voltar para o caminho da porta exterior do lugar sagrado, a qual olha para o oriente; e ela estava fechada. 2 E disse-me YHVH: Esta porta ficará fechada, não se abrirá, nem entrará por ela homem algum; porque YHVH ELohim de YisraEL entrou por ela; por isso ficará fechada. 3 Somente o príncipe se assentará ali, para comer pão diante de YHVH; pelo caminho do vestíbulo da porta entrará, e por esse mesmo caminho sairá, ”

“…e ela estava fechada…”: Em visão o profeta é levado de volta ao portão oriental (porta virada ao nascer do sol), e ele encontra a porta fechada, em seguida o Eterno diz o porquê da porta fechada. O Criador disse: “porque YHVH ELohim de YisraEL entrou por ela”. Com essa fala o Eterno revela o motivo do fechamento da porta.

“Somente o príncipe se assentará ali”: No versículo três o Eterno revela que somente o príncipe entrará por ela. O príncipe nessa visão é o Messias.

“…da porta entrará, e por esse mesmo caminho sairá”: Observe que pelo vestíbulo da mesma porta oriental, somente o Messias pode entrar e sair, nenhuma outra pessoa.

Algumas perguntas para ajudar no entendimento:

Os adoradores de Yeshua dizem que a profecia se enquadra nele, e afirmam que foi ele quem passou pela porta e ela foi fechada. Do versículo 1-3 do capitulo quarenta e quatro, vemos dois personagens da visão; O primeiro é יְהוָה(YHVH), o qual muitas bíblias traduzem por “SENHOR”, essa pessoa é o Eterno. O outro é o príncipe, que sabemos se tratar do Messias.

Se Yeshua é o mesmo que passou pela porta e lacrou, quem é o príncipe (Messias)?
O príncipe (Messias) entrará pela porta para cear na presença de YHVH. Então segundo a visão dos adoradores de Yeshua, o próprio Jesus que fechou a porta e entrou por ela, e vai receber ele mesmo?
O mesmo SENHOR é o mesmo Messias? Ele vai se encontrar com ele mesmo?


O Messias não é o próprio YHVH:

Em hebraico o nome de D’us está assim: “יְהוָה. E todas as vezes em que uma profecia messiânica é mencionada, o Messias é um personagem diferente do Eterno (יְהוָה). Vejamos um exemplo:

2 Mas tu, Beit Lehem Efrata, posto que pequena para estar entre os milhares de Yehudah, de ti é que me sairá aquele que há de reinar em YisraEL, cuja origem são desde os tempos antigos, desde os dias mais longínquos.
3 Por conseguinte os entregará até o tempo em que a que está de parto tiver dado à luz; então o resto de seus irmãos voltará aos israelitas.
4 E ele permanecerá, e apascentará o povo na força de YHVH , na excelência do nome de YHVH seu ELohim; e eles permanecerão, porque agora ele será grande até os fins da erets.” Malaquias 5:2-4

 Analisando o texto de Malaquias 5:2-4

Leia: “E ele (O Messias) permanecerá, e apascentará o povo na força de YHVH (O Eterno) ” Observe claramente que nessa profecia, dois personagens aparecem, um é o Eterno D’us, e o outro é o Mashiach (Messias). O mesmo ocorre na profecia da porta oriental do templo descrita em Ezequiel 44:1-3. O príncipe é o Mashiach, e somente ele terá a liberdade de entrar pela porta que foi fechada pelo Eterno. Agora vou fazer algumas perguntas para reflexão:

1ª – Se Yeshua é o D’us que entrou pela porta e fechou, para que ninguém mais passasse a não ser o Messias, quem é o Messias (Príncipe) então? (Entenda a pergunta, leia Ez 44: 1-3)
Os cristãos dizem que Yeshua é o Messias de Yisrael, sendo ele o Messias, Yeshua comerá pão diante dele mesmo? Veja o texto “Somente o príncipe se assentará ali, para comer pão diante de YHVH” Ez 44:3
Se você é uma das pessoas que dizem: “O Messias é o rei e não príncipe” então peço que leia os seguintes textos usados pelos cristãos para afirmarem que Yeshua é o príncipe:

Sabe e entende: desde a saída da ordem para restaurar, e para edificar a Jerusalém, até ao Messias, o Príncipe, haverá sete semanas, e sessenta e duas semanas; as ruas e o muro se reedificarão, mas em tempos angustiosos. ” Daniel 9:25

D'us com a sua destra o elevou a Príncipe e Salvador, para dar a Yisrael o arrependimento e a remissão dos pecados. ” Atos 5:31

Vou usar apenas esses dois textos, para mostrar que o príncipe da profecia é o Messias. E agora você tem dúvidas? Na profecia de Ez 44: 1-3, O Eterno fecha a porta porque a glória dele passou por ela, mas Ele dará autoridade ao príncipe (Messias) para passar por ela, esse evento vai acontecer quando o templo descrito na profecia for construído, um templo “onde [o Eterno] habitará no meio dos israelitas para sempre” Ez 43:7. 
Esse templo não será destruído. Veja o que Yohanan (João) escreveu no livro das Revelações (apocalipse): “E ouvi uma grande voz do céu, que dizia: Eis aqui o Santuário (tabernáculo) de D’us com os homens, pois com eles habitará, e eles serão o seu povo, e o mesmo D’us estará com eles, e será o seu D’us. ” Apocalipse 21:3

Haverá um templo onde o Messias se assentará a mesa, e diante do Eterno (YHVH) cearás. O Príncipe entrará pelo vestíbulo da porta oriental, que foi fechada porque a gloria do Criador passou por ela. O templo descrito por Ezequiel ainda não existe e nem existiu, e quando existir durará para sempre.

O segundo Templo

Agora vamos estudar sobre o templo que foi destruído no ano 66 EC (Era Comum), provaremos que, o segundo Santuário não é o mesmo descrito na profecia de Ezequiel 44, como muitos teólogos cristãos acreditam.

Algumas considerações:

1º O segundo Templo foi destruído e, portanto, não pode ser o da profecia.
2º Não há relatos que a porta desse templo ficava fechada e que Yeshua entrava pelo vestíbulo do pórtico. Aliás, muitas pessoas passavam por ela, e tão pouco Yeshua era considerado um príncipe por todos na época.
3º Na profecia de Ezequiel 44 a nação Israelita não é subjugada pelos goim (gentios).
4º Na profecia de Ezequiel 44, o templo não seria profanado, mas o segundo templo foi profanado várias vezes.

O histórico sobre o Portal Dourado:

Uma teoria diz, que o Portão de Ouro atual, provavelmente foi construído no ano 520, como parte de uma série de construções em Jerusalém por parte do imperador bizantino Justiniano I, sobre ruínas de outras construções.
Outra teoria alternativa a essa, é a de que, ele foi construído um século depois, no século VII, por artesãos bizantinos que teriam sido contratados pelo Califa Omíadas.
O portão está localizado no meio do lado oriental do Monte do Templo. Acredita-se que, este portão era utilizado para fins ritualísticos nos tempos bíblicos.

O portão foi fechado em 1541 por ordem do sultão otomano Solimão, o Magnífico, porque, segundo a tradição judaica, seria por esse portão que o Messias profetizado no Tanach iria utilizar para entrar na cidade.
Os muçulmanos criaram um cemitério fora do portão, como eles estavam convencidos da profecia de Elias, o precursor do Messias que anunciou que, em seu retorno, o novo profeta não se atreveria a entrar no lugar, porque ele era um cohen. De fato, a entrada de sacerdotes judaicos em um cemitério é totalmente vedada, por causa da impureza.

Conclusão:

Na profecia de Ezequiel 44, o portão foi fechado, porque a gloria do Eterno passou por ele. (“A gloria de YHVH, entrou pela porta” Ez 43:4) por isso foi fechada. “Esta porta permanecerá fechada porque o YHVH, o D’us de Israel entrou por ela” Ezequiel 44:2.
Mas como você leu a história, diz que foi um mulçumano que fechou depois de 1500 anos. O Eterno usou um muçulmano para fechar a porta, depois de todo esse tempo?
Na profecia de Ezequiel 44, a porta teria um vestíbulo por onde o Messias entraria, mas a porta que lá está não tem um vestíbulo. E a profecia não fala de uma nova reconstrução, é claro que esse muro do templo, no qual tem a porta oriental, não é o da profecia.

Caro (a) estudante, peço a você que leia os seguintes capítulos por completo; 40, 41, 42, 43, 44, 45, 46, 47 e 48 você perceberá que em todos esses capítulos o profeta fala de um templo no futuro, um templo que não seria destruído, onde o príncipe (Mashiach) cearia com Ele. É notório que a profecia de Ez 44:1-2, não se cumpriu nos tempos de Yeshua. Estude a verdade e ela te libertará.


Autor: Eliyahu Ben Abraham 



_________________________________



domingo, 11 de junho de 2017

O PRIMOGÊNITO DA CRIAÇÃO



O Primogênito da Criação

Embora os cristãos, tanto trinitaristas como unicistas, não medirem esforços para DETURPAR as Santas Escrituras, manipulando os textos sagrados e forçando a Bíblia a mentir para dar respaldo aos seus dogmas e crenças heréticos, ainda assim, as Escrituras nos revelam sempre a Verdade, basta tirar os óculos de Roma que a verdade aparece revelada.

Os nazarenos históricos do primeiro século, que eram versados nas Escrituras, segundo relatos de seus próprios oponentes, sempre conheceram estas Verdades de que o Messias de Yisrael seria uma criatura do Eterno, enviado para cumprir um propósito divino. Declarações como as do rabbi Shaul haSheliach e de Yochanan não deixam dúvidas quanto a isso, vejamos:


“Ele é a imagem do Elohim que é invisível, o Primogênito de toda a Criação” (Colossenses 1:15)


Shaul não tirou isso de sua mente, isso não reflete o pensamento pessoal dele como os cristãos afirmam, tentando deturpar suas palavras ao afirmarem que a palavra “primogênito” em questão não quer dizer exatamente o primeiro dentre os seres criado pelo Eterno, eles chegam até a apresentar certos textos bíblicos como Êxodo 4:22 e Jeremias 31:9 mas de forma totalmente descontextualizada.
Todavia, Shaul fez tal declaração respaldado nas Revelações das Escrituras, mais precisamente baseado no texto de Provérbios como veremos a seguir:

“Adonai me Criou no início de Sua Obra, sou o Primeiro de suas Obras mais antigas. Fui estabelecido desde a eternidade, desde o princípio, antes da criação da terra” (Provérbios 8:22-23)

Embora o texto inicie falando sobre a sabedoria do Eterno, porém o judaísmo rabínico entende que o restante do texto refere-se ao Messias vindouro, o Talmud Judaico baseado nas revelações de Provérbios também confirma o que Shaul declarou, vejamos estas citações do Talmud Judaico sobre a preexistência do Messias:

Midrash Tanchuma: "Foi exaltado acima de Avraham, exaltado acima de Moshê, e ainda mais exaltado do que os Arcanjos. O mundo foi criado para o Moshiach” (Talmud - Tratado San'hedrín 98b; Midrásh Pessíkta Rabáti 34:6)

“O Messias existia antes da criação do mundo e também estava presente na criação do mesmo” (Midrásh Gênesis Rabá 1:4)

Nedarim 39b: “... Sete coisas foram criadas antes do mundo: A Torah, o arrependimento, o Jardim do Éden, o Guehinom, o Trono de Glória, o Templo, e o nome do Messias.”

Pesikta Rabbati, Piska 33: “Você encontrará que no comecinho da criação do universo, o Rei Messias já veio a ser, porque ele já existia no pensamento do Eterno muito antes de o universo ter sido criado. Da sua existência as Escrituras dizem, ‘e brotou um tronco de Jessé’ (Isaias 11:1), não diz ‘e brotará’, implicando que o ‘rebento’ da raiz de Jessé já veio a existir.”

Era exatamente este também o entendimento dos nazarenos históricos, razão na qual levou Shaul a se referir ao Messias como o Primogênito de toda a Criação.

Sheliach Yochanan ao escrever as revelações do Apocalipse, também usou a mesma definição baseada no texto de Provérbios, seria muita coincidência vindas de pessoas diferentes e em épocas diferentes, entretanto, esta era a maneira como os nazarenos do passado interpretavam as Escrituras hebraicas, vejamos:

“Ao anjo da Congregação que está em Laodiceia, escreve: Assim fala o Amén, a Testemunha fiel e verdadeira, o Primeiro da Criação do Eterno” (Apocalipse 3:14)

Neste texto Yochanan usa dois termos a mais “testemunha fiel” e “verdadeira”, isso tem um significado muito profundo incluso na essência do texto, vejamos, se o Messias foi o primeiro ser criado dentre toda a criação do Eterno, logicamente ele testemunhou a criação da terra, ele pode dar o seu testemunho fiel e verdadeiro sobre tudo que ocorreu no princípio de tudo.

Segundo o mesmo Yochanan, o Messias era a Palavra que estava na boca do Eterno: “No Bereshit (princípio) era a Palavra e a Palavra estava com Elohim... “ (Yochanan 1:1).

Yochanan diz que o Messias sendo a Palavra que estava na boca do Eterno, serviu de instrumento para a obra da criação, ou seja, Adonai utilizou-se desta mesma Palavra para criar todas as coisas, fato declarado em Hebreus: “Pela emuná nós cremos que o universo foi formado pela Palavra do Eterno...’’ (Hebreus 11:3)

Por isso, Yochanan declarou:

“Todas as coisas foram feitas por intermédio dele (enquanto Palavra de D’us), e, sem ele (enquanto Palavra), nada do que foi feito se fez” (Yochanan 1:3)

Desta forma fica bastante claro entendermos a declaração de Isaías, quando este nos revela que Adonai Eterno criou tudo Sozinho:

“Assim declara YHWH, o teu Redentor, o mesmo que te formou deste o ventre materno: Eu Sou YHWH, que faço todas as coisas, que Sozinho estendi os céus e Sozinho firmei a terra por Mim mesmo” (Isaías 44:24)

Aqui fica claro que o criador é o Eterno, e criou tudo sozinho, a Palavra serviu apenas de instrumento da criação mas o agente criador é o Eterno. A semelhança de um pintor que cria uma obra de arte, e para fazer a sua criação o pintor se utilizou de instrumentos como pincel, tinta e tela, mas a mente que criou e elaborou a obra de arte foi o pintor. 
Assim ocorreu na criação, Adonai usou a Palavra como instrumento de sua criação, mas a mente criadora que elaborou tudo foi o Eterno, e Ele fez isso sozinho. É interessante percebermos que, quando não há a influência de Roma tudo fica mais esclarecido, as Escrituras se coadunam sem precisar de uma forçação de barra.

Yochanan continua suas declarações ao dizer que o Messias nos revelou o Eterno como sendo o Pai de todos nós:

“Ninguém jamais viu o Eterno; o filho unigênito que está no seio do Pai, foi quem o revelou” (Yochanan 1:18)

Adonai Eterno é conhecido no Tanach por diversos títulos tais como El Shaday, Elyon, Adonay, Elohim entre outros, mas como Avinu-Pai, raramente aparece, Yeshua foi quem deu início ao conceito de Pai para o Eterno, ao chama-lo de Pai em sua mais célebre oração Avinu Shebashamayim, o Pai Nosso e bem como na maioria de seus discursos, Yeshua sempre se referia ao Eterno como seu Pai e nosso Pai, assim, Adonai foi-nos revelado como o Pai Eterno pelo Messias, da mesma forma como Moisés nos revelou o Eterno pelo seu próprio Nome, YHWH.

Adonai disse que Ele havia se revelado aos nossos Patriarcas por alguns títulos dentre os quais El Shaday ou Todo Poderoso, porém, com o Seu Nome Sagrado YHWH Ele se revelou a Moisés e este nos revelou:

“Disse Adonai a Moisés: Eu Sou YHWH, me revelei a Abraão, a Isaque e a Jacó como o El Shaday, mas pelo Meu Nome, YHWH, não lhes fui conhecido... Portanto, revela aos filhos de Yisrael: Eu Sou YHWH...” (Êxodo 6:2-6).

Nossos Patriarcas até Moisés não conheceram o Nome do Eterno, porém, esta incumbência Ele deu a Moisés o enviado do Eterno, da mesma forma como foi dado ao Messias o ministério de nos apresentar Adonai como o nosso Pai Eterno.

Conclusão:

As Escrituras sempre se completam quando não há adulterações, mesmo que pessoas desonestas tentem deturpar o entendimento das mesmas, elas ainda assim nos revelam algo de precioso quando a lemos com a ajuda da Ruach do Eterno, sem a influência do paganismo vigente, sigamos o conselho de nossos sábios do passado, ao lermos as Escrituras devemos sempre pedir orientação divina pois isso nos será dado com toda certeza.

“Se algum de vocês necessita de sabedoria, peça-a ao Eterno, que a todos dá livremente, de boa vontade; e lhe será concedida” (Tiago 1:5)

Shalom aleichem!!



Rosh Marlon Troccolli

_________________________________________



segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Yeshua é o próprio YHWH?


Yeshua é o próprio YHWH?

Introdução:

Há um velho dito popular entre os teólogos que é super verdadeiro: “Texto (isolado) fora do contexto é pretexto para uma heresia”, todavia essa prática é muito usada no cristianismo, principalmente quando se trata de provar o maior dogma da cristandade, o dogma da trindade cristã.

O mesmo ocorre também quando cristãos tentam provar um outro dogma, o unicismo, que nós, judeus, consideramos tanto trinitarismo e unicismo como duas faces de uma mesma moeda romana. Esta pequena contextualização sobre o capítulo 8 do Livro de Yochanan/João, nos dá o verdadeiro entendimento, dentro do contexto correto, sem precisar isolar nenhum texto a fim de gerar um falso entendimento do mesmo.

Será que Yeshua se declarou ser YHWH??

Na Torah Sagrada, mais precisamente no Livro de Shemôt/Êxodo capítulo 3 verso 14, Adonai Eterno se declara a Moisés como sendo “Ehiêh asher Ehiêh”, que os cristãos traduziram erroneamente em suas bíblias romanizadas como “Eu Sou o que Sou”, já com segundas e perversas intenções de assemelhar às palavras de Yeshua em João 8:58, entretanto, a tradução correta para  “Ehiêh asher Ehiêh” é “Eu Serei o que Serei” que demonstra um significado mais amplo e significativo para o povo do Eterno.

Voltando nossas atenções ao Livro de João, precisamente no capítulo 8, fazendo uma leitura precisa, isenta de dogmatismos e não tendenciosa, perceberemos claramente qual é o contexto e o tema do assunto abordado. Yeshua está falando sobre sua origem espiritual e sua missão como o Enviado do Eterno, e NUNCA sobre sua suposta natureza divina como parte de uma trindade ou como sendo o próprio Eterno encarnado.

Entretanto, se formos ler os versos isolados de seu contexto, daremos margem para um entendimento trinitário/unicista, ou seja, se lermos o verso "EU SOU" de forma isolada e comparando-o com a errônea tradução do verso 14 do capítulo 3 de Êxodo, chegaremos a conclusão de que Yeshua está declarando que ele é o próprio Eterno YHWH.  Porém, ao lermos o verso 23, que é o verso imediatamente anterior ao citado, que diz: "E dizia-lhes: Vós sois de baixo, EU SOU (grifo meu) de cima; vós sois deste mundo, EU não SOU deste mundo."

Lido este versículo, a pergunta é: Yeshua estava reivindicando o que, dos judeus, ao dizer: "se não credes que EU SOU"? Será que Yeshua estava afirmando que era YHWH (ou um co-igual), ou apenas informando que, caso os judeus não crescem que ele era de cima, ou seja, da parte de YHWH, morreriam em seus pecados? Eu dei destaque a todas as expressões “eu sou” ditas por Yeshua em letras maiúsculas, para que os leitores pudessem captar o real sentido das palavras de Yeshua, que era declarar a sua origem espiritual e não a sua suposta “natureza divina”.

A busca para uma suposta legitimação do dogma trinitário/unicista em versos como esse, na verdade, enfraquece mais ainda o referido dogma, enquanto proposta, visto que, expõe a fragilidade de pensamento que se vê nesses versos uma suposta co-igualdade entre YHWH e o seu Mashiach(Messias). Qualquer profissional, como um professor de gramática, por exemplo, perceberá facilmente que não é este o sentido real da redação.

O capitulo 8 de Yochanan(João) tem 59 versículos, onde 6 vezes aparece a expressão: “eu sou”. Mas, a que se refere o texto, dentro do contexto? Qual era a discussão entre Yeshua e os judeus? As respostas a estas perguntas estão na contextualização abaixo.

Contextualização textual:

Vamos fazer agora uma pequena contextualização textual dos versos 12 ao 59 do capítulo 8 de João, para verificarmos o real sentido da expressão “eu sou” dita por Yeshua.

Verso 12 – “...EU SOU a Luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a Luz da Vida...”

Verso 13 - Os fariseus contestam a afirmação de Yeshua, dizendo que era falso o seu testemunho.

Verso 14 - Yeshua responde dizendo: “...ainda que eu testifique de mim mesmo, o meu testemunho é verdadeiro, porque sei de onde venho, e para onde vou; mas vós não sabeis de onde venho, nem para onde vou...”

Versos 15, 16 e 17 - Yeshua nestes versículos cita a Torah, no que se refere a validade do testemunho de duas ou mais pessoas(ver Deuteronômio 17:6 e 19:15).

Verso 18 – “Eu sou o que testifico de mim mesmo, e de mim testifica também o Pai que me enviou.”

Verso 19 - Os fariseus ironicamente perguntam a Yeshua: “...onde está teu Pai...??” Pois eles sabiam muito bem quem era o pai carnal de Yeshua.

Verso 20 - Informa onde se deu este diálogo.

Verso 21 – “Disse-lhes, pois, Yeshua outra vez: Eu retiro-me, e buscar-me-eis, e morrereis no vosso pecado. Para onde eu vou, não podeis vós ir.”

Verso 22 - Os fariseus não entendem o que Yeshua quis dizer, e questionam: “Para onde irás?”

Veja agora o âmago, ou seja, o entendimento literal da questão:

Verso 23 – “E dizia-lhes: Vós sois aqui de baixo, EU SOU (o destaque é meu) de cima, vos sois deste mundo, eu não sou deste mundo.”

Prestem bem atenção neste versículo 24!!

Verso 24 – “Por isso vos disse que morrereis em vossos pecados, porque se não crerdes que EU SOU, morrereis em vossos pecados.”

Pergunta-se: a que se refere o “EU SOU”, dentro do contexto? "...porque se não credes que eu sou...", se observarmos o que Yeshua falou no verso 23, teremos a resposta contextualizada, ou seja: “EU SOU de cima...” que entra em concordância com o verso 24: “se não credes...” em que mesmo? “EU SOU de cima.”

Verso 25 – “disseram-lhe: Quem és tu? Yeshua lhes disse: Isso mesmo que já desde o principio vos disse.”

Pergunto: O que Yeshua disse desde o principio do diálogo? A resposta está no verso 26.

Verso 26 – “Muito tenho que dizer e julgar de vós, mas aquEle que me enviou é Verdadeiro; e o que dEle tenho ouvido isso falo ao mundo”

Verso - 27 – “Mas eles não entenderam que ele lhes falava do Pai.”

Ou seja: O “EU SOU” repetido varias vezes no texto, é referência à afirmativa de Yeshua, no que diz respeito á sua origem espiritual, ou seja, “EU SOU de cima”, ou, “EU VENHO do Pai.” Este é o contexto do “EU SOU” em todo o diálogo de Yeshua com os fariseus.

Verso 28 – “Quando levantardes o filho do homem, então conhecereis quem EU SOU, e que nada faço por mim mesmo, mas falo como meu Pai me ensinou...”

Verso 29 – “E aquEle que me enviou está comigo. O Pai não me tem deixado só, porque eu faço sempre o que Lhe agrada.”

Verso 30 – “Dizendo ele estas coisas muitos (judeus) creram nele.”

Verso 31 e 32 – “Yeshua dizia, pois, aos judeus que creram nele: se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sereis meus discípulos... E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará....”

Versos - 33 ao 41 segue um diálogo onde os judeus afirmam ter um pai, que é Abraão. Yeshua replica: “...Se fosseis de fato filhos de Abraão faríeis as obras de Abraão...” e etc...

Verso - 42  “...pois que eu saí, e vim de Elohim; não vim de mim mesmo, mas Ele me enviou.” Novamente Yeshua afirma qual sua origem espiritual, e qual era a sua verdadeira missão no mundo!

Versos 43 até 57 segue o diálogo até Yeshua reafirmar tudo que já tinha dito antes em todo o texto EU SOU no verso 58, onde termia o diálogo.

Verso 58 – “Disse-lhes Yeshua: Em verdade vos digo que antes que Abraão existisse, eu sou.”

Ou seja: Antes de Abraão, o Eterno já havia planejado este momento, já estava determinado por Adonai enviar um Mashiach e Abraão viu e ouviu esta promessa antes de morrer.

Conclusão Escriturística:

Portanto, pelo contexto hebraico das Escrituras, o “EU SOU” dito por Yeshua nada tem a ver com a expressão “EU SEREI O QUE SEREI” ou “Ehiêh asher Ehiêh” dito pelo Eterno a Moisés em Êxodo 3:14, pois tratam-se de estruturas gramaticais e semânticas completamente diferentes, como querem insinuar tanto a cristandade como alguns ditos “judeus messiânicos”, para satisfazer suas crenças tanto na trindade como no unicismo.

Trinitaristas e unicistas estão a praticar o maior pecado que mais irrita o Eterno, que é a IDOLATRIA, tentam desesperadamente encontrar dentro dos escritos nazarenos ou mesmo dentro do Tanach hebraico, qualquer apoio que tente provar, por mais distante que seja, suas crenças heréticas numa trindade de deuses ou num deus encarnado, para estes, Shaul haSheliach escreve de maneira bastante enfática:

“Pois desde a criação do mundo os atributos invisíveis de YHWH, seu Eterno Poder e sua Natureza Divina, têm sido vistos claramente, sendo compreendidos por meio das coisas criadas, de forma que tais homens são indesculpáveis; ....pois eles mudaram a Verdade do Eterno em mentira, adorando e servindo a criatura, em lugar do Criador, que é Bendito para todo sempre. Amém!” - (Romanos 1:20-25)

Baruch haShem!!




Rosh: Marlon Troccolli

______________________________