domingo, 11 de junho de 2017

O PRIMOGÊNITO DA CRIAÇÃO



O Primogênito da Criação

Embora os cristãos, tanto trinitaristas como unicistas, não medirem esforços para DETURPAR as Santas Escrituras, manipulando os textos sagrados e forçando a Bíblia a mentir para dar respaldo aos seus dogmas e crenças heréticos, ainda assim, as Escrituras nos revelam sempre a Verdade, basta tirar os óculos de Roma que a verdade aparece revelada.

Os nazarenos históricos do primeiro século, que eram versados nas Escrituras, segundo relatos de seus próprios oponentes, sempre conheceram estas Verdades de que o Messias de Yisrael seria uma criatura do Eterno, enviado para cumprir um propósito divino. Declarações como as do rabbi Shaul haSheliach e de Yochanan não deixam dúvidas quanto a isso, vejamos:


“Ele é a imagem do Elohim que é invisível, o Primogênito de toda a Criação” (Colossenses 1:15)


Shaul não tirou isso de sua mente, isso não reflete o pensamento pessoal dele como os cristãos afirmam, tentando deturpar suas palavras ao afirmarem que a palavra “primogênito” em questão não quer dizer exatamente o primeiro dentre os seres criado pelo Eterno, eles chegam até a apresentar certos textos bíblicos como Êxodo 4:22 e Jeremias 31:9 mas de forma totalmente descontextualizada.
Todavia, Shaul fez tal declaração respaldado nas Revelações das Escrituras, mais precisamente baseado no texto de Provérbios como veremos a seguir:

“Adonai me Criou no início de Sua Obra, sou o Primeiro de suas Obras mais antigas. Fui estabelecido desde a eternidade, desde o princípio, antes da criação da terra” (Provérbios 8:22-23)

Embora o texto inicie falando sobre a sabedoria do Eterno, porém o judaísmo rabínico entende que o restante do texto refere-se ao Messias vindouro, o Talmud Judaico baseado nas revelações de Provérbios também confirma o que Shaul declarou, vejamos estas citações do Talmud Judaico sobre a preexistência do Messias:

Midrash Tanchuma: "Foi exaltado acima de Avraham, exaltado acima de Moshê, e ainda mais exaltado do que os Arcanjos. O mundo foi criado para o Moshiach” (Talmud - Tratado San'hedrín 98b; Midrásh Pessíkta Rabáti 34:6)

“O Messias existia antes da criação do mundo e também estava presente na criação do mesmo” (Midrásh Gênesis Rabá 1:4)

Nedarim 39b: “... Sete coisas foram criadas antes do mundo: A Torah, o arrependimento, o Jardim do Éden, o Guehinom, o Trono de Glória, o Templo, e o nome do Messias.”

Pesikta Rabbati, Piska 33: “Você encontrará que no comecinho da criação do universo, o Rei Messias já veio a ser, porque ele já existia no pensamento do Eterno muito antes de o universo ter sido criado. Da sua existência as Escrituras dizem, ‘e brotou um tronco de Jessé’ (Isaias 11:1), não diz ‘e brotará’, implicando que o ‘rebento’ da raiz de Jessé já veio a existir.”

Era exatamente este também o entendimento dos nazarenos históricos, razão na qual levou Shaul a se referir ao Messias como o Primogênito de toda a Criação.

Sheliach Yochanan ao escrever as revelações do Apocalipse, também usou a mesma definição baseada no texto de Provérbios, seria muita coincidência vindas de pessoas diferentes e em épocas diferentes, entretanto, esta era a maneira como os nazarenos do passado interpretavam as Escrituras hebraicas, vejamos:

“Ao anjo da Congregação que está em Laodiceia, escreve: Assim fala o Amén, a Testemunha fiel e verdadeira, o Primeiro da Criação do Eterno” (Apocalipse 3:14)

Neste texto Yochanan usa dois termos a mais “testemunha fiel” e “verdadeira”, isso tem um significado muito profundo incluso na essência do texto, vejamos, se o Messias foi o primeiro ser criado dentre toda a criação do Eterno, logicamente ele testemunhou a criação da terra, ele pode dar o seu testemunho fiel e verdadeiro sobre tudo que ocorreu no princípio de tudo.

Segundo o mesmo Yochanan, o Messias era a Palavra que estava na boca do Eterno: “No Bereshit (princípio) era a Palavra e a Palavra estava com Elohim... “ (Yochanan 1:1).

Yochanan diz que o Messias sendo a Palavra que estava na boca do Eterno, serviu de instrumento para a obra da criação, ou seja, Adonai utilizou-se desta mesma Palavra para criar todas as coisas, fato declarado em Hebreus: “Pela emuná nós cremos que o universo foi formado pela Palavra do Eterno...’’ (Hebreus 11:3)

Por isso, Yochanan declarou:

“Todas as coisas foram feitas por intermédio dele (enquanto Palavra de D’us), e, sem ele (enquanto Palavra), nada do que foi feito se fez” (Yochanan 1:3)

Desta forma fica bastante claro entendermos a declaração de Isaías, quando este nos revela que Adonai Eterno criou tudo Sozinho:

“Assim declara YHWH, o teu Redentor, o mesmo que te formou deste o ventre materno: Eu Sou YHWH, que faço todas as coisas, que Sozinho estendi os céus e Sozinho firmei a terra por Mim mesmo” (Isaías 44:24)

Aqui fica claro que o criador é o Eterno, e criou tudo sozinho, a Palavra serviu apenas de instrumento da criação mas o agente criador é o Eterno. A semelhança de um pintor que cria uma obra de arte, e para fazer a sua criação o pintor se utilizou de instrumentos como pincel, tinta e tela, mas a mente que criou e elaborou a obra de arte foi o pintor. 
Assim ocorreu na criação, Adonai usou a Palavra como instrumento de sua criação, mas a mente criadora que elaborou tudo foi o Eterno, e Ele fez isso sozinho. É interessante percebermos que, quando não há a influência de Roma tudo fica mais esclarecido, as Escrituras se coadunam sem precisar de uma forçação de barra.

Yochanan continua suas declarações ao dizer que o Messias nos revelou o Eterno como sendo o Pai de todos nós:

“Ninguém jamais viu o Eterno; o filho unigênito que está no seio do Pai, foi quem o revelou” (Yochanan 1:18)

Adonai Eterno é conhecido no Tanach por diversos títulos tais como El Shaday, Elyon, Adonay, Elohim entre outros, mas como Avinu-Pai, raramente aparece, Yeshua foi quem deu início ao conceito de Pai para o Eterno, ao chama-lo de Pai em sua mais célebre oração Avinu Shebashamayim, o Pai Nosso e bem como na maioria de seus discursos, Yeshua sempre se referia ao Eterno como seu Pai e nosso Pai, assim, Adonai foi-nos revelado como o Pai Eterno pelo Messias, da mesma forma como Moisés nos revelou o Eterno pelo seu próprio Nome, YHWH.

Adonai disse que Ele havia se revelado aos nossos Patriarcas por alguns títulos dentre os quais El Shaday ou Todo Poderoso, porém, com o Seu Nome Sagrado YHWH Ele se revelou a Moisés e este nos revelou:

“Disse Adonai a Moisés: Eu Sou YHWH, me revelei a Abraão, a Isaque e a Jacó como o El Shaday, mas pelo Meu Nome, YHWH, não lhes fui conhecido... Portanto, revela aos filhos de Yisrael: Eu Sou YHWH...” (Êxodo 6:2-6).

Nossos Patriarcas até Moisés não conheceram o Nome do Eterno, porém, esta incumbência Ele deu a Moisés o enviado do Eterno, da mesma forma como foi dado ao Messias o ministério de nos apresentar Adonai como o nosso Pai Eterno.

Conclusão:

As Escrituras sempre se completam quando não há adulterações, mesmo que pessoas desonestas tentem deturpar o entendimento das mesmas, elas ainda assim nos revelam algo de precioso quando a lemos com a ajuda da Ruach do Eterno, sem a influência do paganismo vigente, sigamos o conselho de nossos sábios do passado, ao lermos as Escrituras devemos sempre pedir orientação divina pois isso nos será dado com toda certeza.

“Se algum de vocês necessita de sabedoria, peça-a ao Eterno, que a todos dá livremente, de boa vontade; e lhe será concedida” (Tiago 1:5)

Shalom aleichem!!



Rosh Marlon Troccolli

_________________________________________



0 comentários:

Postar um comentário